Publicidade
Esportes
CORRIDA

Meia-maratona de Manaus Jovem Pan reúne profissionais e amadores neste domingo (21)

2.200 corredores percorrerão o percurso da corrida, que começa e termina na Arena da Amazônia, mas "passeia" por todo o centro histórico de Manaus 20/10/2018 às 08:49 - Atualizado em 20/10/2018 às 11:30
Show marcia 1  6fc69d9e 42de 41a4 bd16 59bcffa23909
Fotos: Júnior Matos/A crítica
Jéssica Santos Manaus (AM)

Você já correu uma meia-maratona? E já imaginou como é vencer uma corrida de 21 km? Neste domingo (21), acontece a Meia-maratona de Manaus Jovem Pan, com largada e chegada na Arena da Amazônia (Zona Centro-Oeste), começando às 5h30 da manhã. A postos para a competição estarão 2.200 atletas de faixas etárias, níveis e objetivos diferentes. Entre eles, está Carlos Eduardo, ansioso para se desafiar na sua primeira meia-maratona; e numa situação diferente está Márcia Magalhães, que tem um bebê em casa, mas consegue se dedicar aos treinos para chegar ao lugar mais alto do pódio. 

Pódio como meta 

Márcia Magalhães, 29, corre desde os 14 anos. Em julho, ela venceu a Meia-maratona Sustentável, em Manaus, e no mês passado ficou em segundo lugar na Maratona do Amazonas, a melhor amazonense da prova. Com resultados excelentes, ela chega à prova da Jovem Pan como uma das favoritas, mas mantém a humildade. “Como eu vim de uma maratona, acredito que consigo correr muito bem a Meia-maratona, imprimir um ritmo bom. Meu objetivo é fazer um tempo bom, até porque sei que vão vir adversárias de outros estados, do Pará, do Acre; as meninas daqui também estão treinando, então será um privilégio se eu ficar entre as cinco primeiras”, disse Márcia.

Quem vê Márcia focada e vencedora, não imagina que ela precisa conciliar os treinos com o tempo para cuidar do seu filho, Heitor, de 10 meses de idade. “Eu já tinha o objetivo de, passados 45 dias do nascimento dele, voltar a correr, e focar nos treinos pra melhorar. Então, foi o que eu fiz, mas não esperava que eu ia chegar logo aos pódios, e para mim é uma felicidade e uma motivação pra melhorar ainda mais”, revela.

Márcia faz o treino que seu esposo e também corredor, Osmanir Alves, passa para ela, e que tem dado resultado, mas afirma que seu sucesso na corrida depende principalmente dela. “Eu não tenho o descanso que tinha, tenho que aproveitar enquanto meu filho dorme pra fazer as coisas, mas treino, não exagero, e sei que, se quero chegar longe, só depende de mim. Tem gente que quer desmotivar, falam o que querem, mas isso até me motiva”.

Primeira meia-maratona

“O esporte faz parte do nosso serviço, da nossa profissão”, realça Carlos Eduardo Oliveira (Equipe Pit Tri), 39, que é policial militar e até o ano passado praticava atividades físicas de forma, digamos, automática. Ele já corria, participava de provas de cinco ou no máximo dez quilômetros, até que Eduardo descobriu que os desafios podem movê-lo a querer muito mais do que praticar esporte. “Passei a aumentar o volume e ritmo de corrida e também passei a fazer triathlon; fiz uma prova e gostei, e comecei a intensificar os treinos de junho pra cá. Antes disso, eu não tinha uma rotina de treinamento”, conta ele.

Eduardo passou a acordar cedo para treinar todos os dias, e decidiu então correr a Meia maratona de Manaus Jovem Pan, sua primeira prova na distância. “Eu decidi participar porque vi que tinha condições, que eu estava treinando direitinho, até cheguei a participar de uma corrida com 15 km como um teste, e fui bem, então vi que posso concluir os 21 km”, disse.

A distância, Eduardo tem convicção de que consegue vencer, mas sobre o percurso...“Vou me ambientar ainda, mas sei que é saindo da Arena da Amazônia, e sei que vai ser um percurso ‘violento’, que não é aquele tradicional da Ponta Negra, plano. Eu me inscrevi e vou fazer”, disse o corredor, que ao contrário de Márcia, não pensa no pódio, mas sim na realização de novos desafios: “já estou pensando no Ironman 70.3 para 2019”, conclui Eduardo. 

Prova da Jovem Pan terá também a distância de 10,5 km, e premiação valiosa

Fazer uma prova de 21 km exige grande treinamento dos atletas, mas a Meia- Maratona de Manaus também deu aos atletas a oportunidade de fazer a prova em dupla, com cada um correndo 10,5 km. Um faz a parte inicial do percurso e o outro faz a segunda parte do percurso, a etapa final. Ambos ganham medalhas. 
Também será realizada a prova de 10,5 km para aqueles que querem correr uma distância menor, sozinho. 

Prêmios aos campeões

Os cinco primeiros colocados nas categorias geral masculino e geral feminino receberão, além de troféus e medalhas, premiação em dinheiro.1º lugar: R$2.500, 2º, R$1.500, 3º, 1.000, 4º, R$500, e 5º, R$300.

Haverá premiação em dinheiro também para os melhores atletas deficientes visuais, deficientes auditivos e cadeirantes. Além disso, os melhores corredores de cada categoria dividida por faixa etária também serão premiados com troféus.

Corrida estratégica

Você quer dicas para correr a Meia-Maratona de Manaus Jovem Pan? Jonathan Alberto, da equipe Pé Urbano Manaus, prepara atletas há anos para  provas de curta e longa distância. Na prova da Pan, a equipe estará com 16 corredores, mas ele deu dicas para  todos os leitores do CRAQUE que irão para a competição.

“É uma corrida muito estratégica, por já ser uma prova de longa distância, então deve-se atentar para três pontos, o primeiro é o  ritmo de prova, que deve estar pré-estabelecido desde os treinos, para durante a prova realizar o planejado; o segundo é a hidratação: normalmente, para nossa região, o ideal é que o atleta utilize a hidratação de todos os pontos que tiverem durante o percurso (água e isotônico), podendo até mesmo jogar água na cabeça e corpo para refrescar do calor; e o terceiro ponto é a alimentação: atletas em geral utilizam carboidratos em formato de gel, bananada, ou isotônicos (líquidos) a cada 45 minutos de prova, e outros utilizam também as cápsulas de sal, que evitam as cãibras por conta do desgaste durante a prova”, aconselhou.

Publicidade
Publicidade