Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
CAMPEÃS

Meninas do Brasil vencem Itália e conquistam título da Copa Caixa na Arena da Amazônia

Em jogo disputado, seleção feminina superou a Itália por 5 a 3. Com a conquisa, Brasil chega ao sétimo título em oito edições do torneio. Em clima de despedida, jogadora Formiga foi homenageada em campo



lpfrefr.JPG Meninas derrotaram Itália e conquistam sétimo título do torneio (Foto: Antônio LIma)
18/12/2016 às 18:56

O Brasil conquistou o título da Copa Caixa de Seleções neste domingo (18), na Arena da Amazônia. Em um jogo disputado e cheio de gols, a Seleção Feminina superou a Azzurra por 5 a 3, gols de Bia, Andressinha, duas vezes, e Debinha. Mauro, Gabbiardini e Bonasea marcaram os gols das italianas. A partida também marcou a despedida da jogadora Formiga com a camisa da Seleção. Com a conquista, o Brasil chega ao sétimo título em oito edições do Torneio.

Ao contrário do jogo de quarta-feira, as italianas vieram mais abertas para o jogo contra o Brasil, isso deixou a partida mais movimentada no meio. O Brasil tentava chegar, mas a zaga da Itália tirava a bola, quando a Azzurra chegou, balançou as redes brasileiras ao cinco minutos, com Ilaria Mauro, mas a jogadora estava em posição irregular e o gol foi invalidado.

Com o susto, o Brasil se lançou ao ataque e começou a pressionar. A pressão surtiu efeito rapidamente. Aos oito minutos, Thaisa saiu jogando e cruzou para a área, a bola sobrou para Bia, que pedalou e chutou para o gol. Brasil 1 a 0. Na comemoração, a camisa 11 chamou as jogadoras para reverenciar Formiga, que faz seu último jogo com a camisa da Seleção.

Animada, a Seleção começava a pressionar, mas pecava na defesa e o erro custou caro aos 14 minutos, quando Ilaria Mauro recebeu a bola do lado direito e saiu jogando. A italiana deixou a zagueira brasileira para trás e chutou forte de fora da área sem chances para a goleira Bárbara. Golaço da Itália.

As meninas do Brasil passaram à frente do placar aos 20 minutos quando Bia enfiou a bola para Gabi, que só teve o trabalho de chutar na saída da goleira Schroffenegger. Brasil 2 a 1. Mesmo com  gol, a seleção continuava buscando aumentar a vantagem. Em jogada de Bia, aos 26 minutos, Debinha recebeu e chutou na entrada da área para a defesa da arqueira italiana.

Mas se o Brasil ia muito bem no ataque, a defesa deu alguns vacilos. Erros na recomposição do time deixavam as italianas terem espaço e isso ficou visível quando Sara Gama avançou no contra-ataque pela direita e tocou para Gabbiadini, livre, chutar na saída de Bárbara. Itália 2 a 2. Mas o Brasil não dava descanso para a Itália. Quatro minutos depois, Andressinha cobrou falta com perfeição no ângulo esquerdo de Schroffenegger e colocando as brasileiras novamente à frente do placar.

A Itália tentava ganhar nos contra-ataques, principalmente em jogadas rápidas e tentava pressionar a saída de bola do Brasil, principalmente porque as jogadoras brasileiras abusavam dos recuos para a goleira Bárbara. Outras vezes, a própria arqueira tentava tirar as bolas da área. Em um desses lances, quando tentava tirar a bola, a goleira saiu do gol e chutou, a bola parou nos pés de Guagni que viu a goleira adiantada e chutou. A bola caprichosamente, quicou próximo à linha e subiu para o travessão.

Na  segunda etapa mais pressão do Brasil. Logo aos dois minutos, Bia fez bela jogada e chutou no meio da área. A zaga tirou  no rebote, Andressinha chutou colocado, sem chance para a arqueira italiana, que estava adiantava. Com 4 a 2 no placar, a confiança aumentou e a pressão brasileira também. Gabi e Bia tentavam ampliar a vantagem, mas a bola parava nas mãos da goleira italiana. A Itália pouco atacava, mas quando se propunha a jogar, era fatal. Aos 11, Gabbiardini avançou com velocidade e tocou para Bonasea, livre chutar e diminuir para 4 a 3.

Com a entrada de Gabi Nunes no lugar de Thaisa, o Brasil melhorou no meio campo passou a povoar mais o setor do campo. Nas laterais, quem dominava era Fabiana, que puxava jogadas de velocidade pelo lado direito. Aos 15 minutos,  a lateral chutou cruzado e Debinha, no segundo pau, chutou para fazer 5 a 3. Na metade do segundo tempo, o ritmo do jogo diminuiu. O Brasil conseguiu melhorar a marcação e com isso, a Itália atacou menos. Do lado canarinho, o Brasil continuava chegando, mas Schroffenegger fez boas defesas impedindo que o placar ficasse mais elástico.

Aos 45 minutos, o estádio vibrou mais uma vez quando Formiga saiu para a entrada de Fran. Ovacionada pela torcida, a jogadora estava visivelmente emocionada. O Torneio em Manaus marcou a despedida da meia com a camisa da seleção brasileira. As jogadoras, num abraço coletivo, conduziram Formiga até a beira do campo. No telão, aparecia a mensagem #ValeuFormiga.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.