Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
Craque

Mestre de jiu-jitsu Adenaldo Freitas se esforça para manter crianças longe das drogas

Fundador da Associação Naldo Freitas, o mestre de jiu-jitsu toca o projeto de sua vida, localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, localizado na Zona Leste de Manaus



1.jpg Adenaldo Freitas gradua a promessa Ísis Daniele, de apenas 8 anos, em aula realizada ontem na academia da Colônia Antônio Aleixo
03/10/2013 às 08:21

Vinte e quatro peças de tatame divididos para duas academias, unidas à vontade de dar às crianças da comunidade um futuro melhor. É com essa premissa que o mestre de jiu-jitsu Adenaldo Freitas (desempregado no momento e vivendo de bicos na função de segurança), fundador da Associação Naldo Freitas, toca o projeto de sua vida, localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, localizado na Zona Leste de Manaus. Lá, ele treina aproximadamente 50 crianças. Adenaldo ainda conta com a “sucursal” do projeto em funcionamento no Puraquequara, onde atende 28 futuros campeões da arte-suave.

Com a necessidade de cobrar uma mensalidade simbólica de R$ 15 para custear o aluguel do espaço, o professor contou quais os princípios que passa para a molecada. “Aqui, cobro o estudo, o bem estar em casa e tento ajudar a manter todos os participantes fora das drogas. Aqui, infelizmente tem menino de 14, 15 anos que já está envolvido com o tráfico. Não é fácil”, explicou o mestre Naldo.

Contribuição dos pais

Sem um patrocinador oficial, o mestre mantêm a iniciativa com ajuda dos pais de participantes. “Quero agradecer ao Rildo Eros, ao Cleber Rindo, a Iris Azevedo, a Núbia Neres e ao Daniel Henrique. Sem eles seria impossível”, citou o professor.

Entre os talentos salvos pelo professor está a casca-grossa de apenas oito anos, Ísis Daniele. Recém-graduada para a faixa-amarela, a garotinha já tem grandes feitos, e bom desempenho escolar. “Eu sei a hora de brincar, de estudar e de treinar”, disse a pequenina.

Com experiência no judô, onde também foi campeã, Ísis admite qual é o seu maior temor. “Ainda quero ser faixa-preta e lutadora de MMA. Por isso, meu maior medo é de ‘estourar meu joelho’”, falou a pequena.

Nunca é tarde para recomeçar

O que comprova que a iniciativa do professor dá resultado é a reintegração à sociedade de um dos participantes, como explica o mestre Naldo Freitas. “Nós não fazemos nada de brincadeira aqui. O nosso projeto dá resultado, tanto que a academia está sempre lotada. Um dos participantes é um ex-detendo que hoje trabalha, treina e dá aulas em Maués”, disse o mestre. As aulas na academia da Colônia Antônio Aleixo funcionam de segunda a sexta. Ela está localizada em frente ao campo do 11 de maio.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.