Publicidade
Esportes
Baixa no Hulk

Craque do futebol feminino, Micaelly Brazil troca o Iranduba pelo Sport-PE

Menina prodígio do futebol feminino do Amazonas, Mica vai reforçar o Leão pernambucano até o fim do ano; diretoria do Hulk não gostou da forma como a atleta deixou o clube e disparou contra o Sport 14/08/2017 às 19:52 - Atualizado em 14/08/2017 às 19:53
Show a2
Mica Brazil marcou um gol com a camisa do Hulk no último Brasileirão (Foto: Evandro Seixas)
Denir Simplício Manaus (AM)

“Não estava me sentindo bem no Iranduba e pra lá eu não volto mais”. A frase em tom taxativo é da meia-atacante Micaelly Brazil que confirmou na tarde desta segunda-feira (14) que não é mais jogadora do Iranduba. A meia-atacante que desde os 13 anos é uma das grandes promessas do futebol feminino do País, acertou sua ida para o Sport Recife onde deve atuar até o fim da temporada.

Sempre contida nas declarações, a atleta nascida em Autazes, no interior do Amazonas, afirmou que quis deixar o clube e já mira treinos e competições na nova casa.  “Eu quis sair, cheguei hoje (ontem, no Recife) e amanhã vou fazer uns exames e começar a treinar pro Nordestão”, comentou Mica, que foi para Pernambuco na companhia de seu procurador, Thomé Neto.

Diretoria do Hulk na bronca

"Tem coisa que não posso falar... só sei que, enquanto eu for diretor do Iranduba, no Iranduba a Micaelly não joga mais", disparou Lauro Tentardini, diretor de futebol do Iranduba, sobre a decisão da atleta amazonense. Questionado quais os motivos da saída da jogadora, o dirigente insinuou que Mica forçou seu desligamento do Hulk.

De acordo com Tentardini, Mica Brazil mentiu seu sobre retorno de período de treinos com a Seleção Brasileira Sub-20, quando pediu para passar uns dias com sua família em Autazes, mas que na verdade a jogadora estava em São Paulo sem comunicar o clube. Ainda segundo o dirigente, quando Mica retornou de São Paulo já veio decidida a deixar o Iranduba, se dirigindo à concentração do time apenas para recolher seus pertences sem avisar a ninguém do Iranduba.  

Além do atraso no retorno ao clube, Tentardini apontou que o procurador de Micaelly Brazil, Thomé Neto,  teria afirmado que a causa pela saída da atleta se deu por uma reclamação da comissão da Seleção Brasileira, que havia dito que a jogadora se apresentou fora de forma para os treinamentos com a equipe. 

Indignado com a forma como se deu a saída de Micaelly, Tentardini não poupou críticas ao Sport-PE.

"O que o Sport fez foi extremamente antiético. É a segunda vez que o Sport age de má fé. A primeira foi quando tentou insinuar que nós entregamos aquele jogo pro Kindermann, quando eles não foram competentes, e agora a segunda vez é indo em cima de uma atletas que tinha acerto com o clube até final do ano”, disparou o dirigente. 

Leão mira 2018

O CRAQUE procurou a diretoria do Sport-PE que confirmou a chegada de Micaelly Brazil e apontou a chegada da amazonense como o início de um projeto ambicioso visando a próxima temporada. 

"Estamos investindo forte já pensando no ano que vêm e atletas como a Micaelly, que todo mundo quer, são bem vindas", comentou Nira Ricardo, 52, coordenadora de futebol do Sport Recife. A dirigente confirmou que a diretoria do Leão da Ilha está organizando uma cometição nos moldes da Copa do Nordeste na categoria feminina ainda para 2017. 

"Estou até admirada com o apoio que a direção do Sport tem dado ao futebol feminino. Muito bom mesmo e isso deixa a gente muito feliz. O Nordestão é uma competição que estamos planejando com todos os estados no Nordeste. Nossa intenção é que se inicie em novembro", revelou Nira apontando que a organização do Nordestão Feminino está a todo vapor.

"Queremos iniciar a pré-temporada já em outubro, mas vamos fazer amistosos antes do Nordestão. Já comunicamos todos os clubes que ficaram de confirmar a vinda de ônibus, já que a sede será aqui (Recife). Chegando aqui nós vamos dar toda a estrutura de concentração e alimentação", concluiu Nira Ricardo.

Publicidade
Publicidade