Publicidade
Esportes
Craque

‘Mudança de atitude’ é o que cobra Lana em sua volta ao comando do Nacional

O treinador deixou a aposentadoria e retorna ao comando do Nacional contra um velho conhecido, o São Raimundo. O treinador confirmou apenas uma mudança no time, mas espera que todos em campo mudem de postura 10/03/2015 às 21:46
Show 1
Lana cobrou atitude dos jogadores que entrarão em campo nesta quarta-feita (11), na Colina, contra o São Raimundo.
Denir Simplício Manaus (AM)

Atitude. Essa é a principal mudança pretendida por Aderbal Lana na sua partida de estreia no retorno ao comando do Nacional diante do São Raimundo na partida de hoje, às 20h, na Colina. O treinador, que substituiu o demitido Sinomar Naves, afirmou que conhece o clube e a torcida nacionalina, e a maneira que o time vinha atuando fugia das características da equipe.

“A torcida do Nacional é uma torcida que quer ver uma equipe  agredindo, com velocidade. E o que via era um certo marasmo na saída de bola. E eu estou tentando por uma saída mais rápida”, disse Lana confirmando a entrada de Peter no lugar de João Rodrigo na lateral-direita. No meio de campo a principal mudança é mesmo no sistema de jogo.

Lana confirmou que deve manter a mesma formação que começou o jogo contra o Paysandu, em Belém, com três volantes: Denis, Lídio e Bruno Potiguar, e apenas o meia Fininho na armação. “Eu acho que o time que entrou contra o Pysandu até teve momentos muitos bons dentro de campo, mas lento. Por isso eu coloquei o Peter para dar mais velocidade desse lado”, falou Lana.    

Fininho livre, leve e solto

Outra mudança que o próprio Lana taxou como “radical” será na postura da equipe dentro de campo diante do São Raimundo. E a peça fundamental para essa mudança de atitude do time atente pelo nome de Fininho. O meia atuará livre, leve e solto no meio de campo, sem a obrigação constante de voltar para marcar. “Ele (Fininho) é um jogador de velocidade e que chega bem próximo ao ataque para as finalizações. Não vou deixar ele correndo atrás de um adversário. Pra isso já temos três volantes”, explicou Lana.

 O treinador do Naça ainda fez uma comparação curiosa sobre Fininho. “Para que me entendam melhor. Vou fazer com o Fininho aquilo que eu fazia com o Danilo Rios: deixando ele mais solto sem a obrigação de marcar o tempo todo”. O próprio Fininho festejou o novo posicionamento e fez uma autocrítica sobre o momento até aqui com a camisa do Nacional. “Eu gosto muito de jogar do meio pra frente. Eu até tive essa oportunidade com o Sinomar, mas, infelizmente, estou até chateado pois sei que posso render mais”, disse.

Publicidade
Publicidade