Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
Craque

Mulher aborta o filho após ser medicada para cólica em Manaus

A dona de casa Josiane da Silva diz que foi medicada para dores abdominais sem fazer exames médicos e abortou. A jovem não sabia que estava grávida



1.jpg O feto só foi descoberto na manhã desta terça-feira (14) quando moradores da rua vizinha o encontraram na via
14/02/2012 às 16:58

Uma simples dor abdominal levou a dona de casa, Josiane Azevedo Araújo da Silva, 19, abortar na noite da última segunda-feira (13) em Manaus. A jovem chegou a ser atendida pelo Sistema Único de Saúde, mas teria recebido a medicação errada.

Por volta das 15h da última segunda-feira (13) Josiane apresentou as primeiras dores abdominais. Após fortes crises de dor, a jovem foi até o SPA Danilo Correa, localizado na Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, onde recebeu atendimento médico.



A noite, já em casa, na rua 49 B, bairro Amazonino Mendes, Zona Norte, Josiane afirma que voltou a sentir as dores e foi ao banheiro. Para não acordar a filha de apenas onze meses, a jovem não ligou a luz do cômodo e abortou o feto de apenas algumas semanas acreditando que havia menstruado.

O feto só foi descoberto na manhã desta terça-feira (14) quando moradores da rua vizinha encontraram o feto na via. Segundo Josiane, as casas do bairro não possuem saneamento básico e os dejetos são despejados na rua. Com a chuva, o feto foi arrastado para a rua vizinha, onde foi encontrado por outros moradores.

A família suspeita ainda que a jovem tenha abortado após receber medicação errada, pois afirma que não chegou a ser examinada antes de receber o remédio. Josiane disse que não lembra qual medicação tomou no hospital.

Josiane afirma que não suspeitava que estava grávida, pois o ciclo menstrual estava normal.

O caso foi registrado no 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.