Quarta-feira, 22 de Setembro de 2021
AM EM TÓQUIO

Na terra do sol nascente: Maria Taba compõe equipe de judô do Brasil nas Olimpíadas

A judoca amazonense Maria Taba foi convocada para ser sparring na preparação da seleção de judô que disputará os Jogos Olímpicos



6afd35a4-0038-438a-a530-9c8ebd20b713_0179E9C4-E139-4544-893A-63739240619C.jpg A judoca amazonense Maria Taba, de quimono branco. Foto: Lara Monsores/CBJ
24/07/2021 às 11:08

Apesar de não ter nenhum representante nos Jogos Olímpicos de Tóquio, tem amazonense em solo japonês, mais especificamente, na equipe de Judô do Brasil. A atleta Maria Taba (52kg) foi convocada para ser sparring e participar de treinos junto com Larissa Pimenta, que disputará os Jogos pela primeira vez.

No último ciclo olímpico, as duas atletas tiveram diversos embates em diferentes competições desde Troféu Brasil até Campeonato Mundial Júnior e Seletiva Olímpica. Mas se um dia, a amazonense e a atleta paulista estiveram em lados opostos, hoje elas estão juntas por um mesmo objetivo: buscar uma medalha para o Brasil.



“Mesmo a Larissa sendo minha adversária dentro do tatame, sabemos que foi uma jornada longa e difícil onde todas queríamos estar. E estando ajudando ela sinto uma sensação boa e que posso estar contribuindo com algo”, disse Taba, através de respostas enviadas pela assessoria da Confederação Brasileira de Judô.


 Foto: Lara Monsores/CBJ

A equipe olímpica foi anunciada no dia 16 de junho e os treinos da equipe e aclimatação aconteceram na cidade de Hamamatsu desde o dia 10 de julho. Durante este período, Taba, assim como o restante da equipe, tem vivido uma rotina intensa de treinos para ajustar os últimos detalhes.

“Temos dois treinos por dia, e está sendo bem proveitoso. Estamos tendo treinos mais direcionados tanto nos uchikomes (entrada de golpes) como no randori (luta de treinamento)”, explicou.

As competições do judô iniciaram na Olimpíada de Tóquio com Gabriela Chibana (48kg) e Eric Takabatake (60kg). Neste sábado será a vez de Larissa Pimenta (52kg) e Daniel Cargnin (66kg) com Eduardo Katsuhiro Barbosa (73kg) – na segunda - Ketleyn Quadros (63kg) e Eduardo Yudy Santos (81kg), Ketleyn Quadros (63kg) e Eduardo Yudy Santos (81kg) – terça - Maria Portela (70kg) e Rafael Macedo (90kg) – quarta - Mayra Aguiar (78kg) e Rafael Buzacarini (100kg)  - quinta - Maria Suelen Altheman (+78kg) e Rafael Silva “Baby” (+100kg) – sexta-feira – encerrando as competições individuais. No sábado, 31, começa a competição de equipes mistas, marcando a despedida do judô.

Pensando no futuro

Mesmo não disputando os Jogos, Maria espera aproveitar não apenas a atmosfera olímpica, como também a sensação de estar no Japão, berço da arte suave, para buscar motivação e estar entre os convocados para os Jogos de Paris, que será em 2024.

“Pra mim estar aqui é uma sensação única pois foi onde originou o judô e, além disso,  meu pai nasceu no Japão. Estar aqui nos Jogos Olímpicos me deixa muito feliz e com muito mais vontade de conseguir chegar no próximo ciclo. Essa experiência está sendo ímpar e sinto como parte da minha preparação para o próximo (ciclo) que será mais curto e terei que aproveitar cada oportunidade que me aparecer”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.