Publicidade
Esportes
Craque

Naça responde declarações polêmicas de Aderbal Lana

Por meio de nota oficial, assinada pelo presidente do clube, Mário Cortez, o Nacional repudiou as declarações de Lana 11/09/2013 às 08:37
Show 1
Cortez emitiu nota após matéria do CRAQUE
jornal a crítica ---

As declarações polêmicas do ex-técnico do Nacional, Aderbal Lana, contra a diretoria nacionalina, publicados na última terça-feira(3) no CRAQUE, repercutiram nessa terça-feira (10) no clube da Vila Municipal. Por meio de nota oficial, assinada pelo presidente do clube, Mário Cortez, o Nacional repudiou as declarações de Lana, que dirigiu o clube de 18 de março a 31 de julho de 2013 - durante parte do Campeonato Amazonense (do qual a equipe foi vice-campeã), Copa do Brasil e Série D do Brasileiro.

Em relação aos direitos trabalhistas que o ex-treinador Aderbal Lana disse não ter recebido no período de 1985 a 1991, quando trabalhou no clube e que vai recorrer à Justiça do Trabalho, o Naça justifica estar pronto para qualquer demanda na justiça, seja ela Trabalhista ou Comum.

Durante a entrevista, ao jornal A CRÍTICA, Aderbal Lana criticou a postura do diretor de futebol do Naça, Gilson Mota, que procurado pela reportagem do CRAQUE não quis se pronunciar sobre o assunto.

Real por real

Quanto ao pagamento do salário de Aderbal Lana, o Nacional esclareceu que ele tinha um contrato com o clube no valor de R$ 5.000, a título de salário; com um contrato de direito de imagem no valor de R$ 12.000.

“Durante a Série D do Brasileiro (a partir de 1º de junho), o direito de imagem teve um acréscimo de R$ 8.000, passando então, o treinador, a receber os mesmos R$ 5.000 de salários e, R$ 20.000 de direito de imagem. Direito este que deixou de ser usado a partir da sua demissão em 31 de julho de 2013”, disse a nota.

Adiantamento

Ainda segundo a nota “O Nacional informa que Lana solicitou ao ser admitido, o adiantamento de R$ 17 000, 00 (dezessete mil reais), referente ao último mês de trabalho. Portanto, a rescisão que o treinador recusa receber deve ser feita em cima dos salários de R$ 5 000, 00 (cinco mil reais), e, descontando o adiantamento de R$ 17 mil”.

Denegrindo a imagem?

A diretoria do Nacional ainda declarou na nota que em nenhum momento convocou a imprensa para denegrir a imagem de Aderbal Lana e que o clube manteve uma postura e agradeceu os trabalhos dele. Mas, ao contrário, desde que foi demitido do clube, que o ex-treinador vem dando declarações à imprensa denegrindo a imagem do clube e de seus diretores.

Falta de ética

A direção criticou a postura do ex-treinador e chamou de “falta de ética” as críticas de Lana feitas a Léo Goiano.

Sobre as declarações de Lana em relação à ausência do presidente Mário Cortez no local de treinamento do clube, a diretoria informou que o “Nacional tinha uma comissão técnica contratada para realizar os treinamentos”.

Publicidade
Publicidade