Publicidade
Esportes
Craque

Nacional de Borba inicia pré-temporada da Copa Amazonas

Clube da terra do Padroeiro Santo Antônio de Borba, Nacional Borbense iniciou os treinamentos nesta segunda-feira e vai mandar todos os jogos na capital 28/09/2015 às 18:23
Show 1
Alberone terá a missão de comandar o Borbense na Copa Amazonas
Anderson Silva Manaus (AM)

O Nacional Borbense deu início à preparação para a Copa Amazonas, que tem início marcado para o dia 10 de outubro. Ao contrário dos últimos anos, a equipe de Borba (distante a 150 km de Manaus) não vai iniciar a preparação na terra do seu mais ilustre patrono: Santo Antônio.

De olho na “crise econômica”, o Camaleão decidiu realizar toda a preparação na capital. Sem perder tempo, o técnico Alberone, 37, - capitão do time profissional na disputa do Estadual deste ano e treinador da equipe Juniores no Barezinho - iniciou os treinos físicos no Fazendário Clube, na Zona Centro-Sul, na tarde desta segunda-feira (28).

“Temos muitos jogadores daqui de Manaus e poucos lá de Borba, são quatro apenas. E treinar aqui vai ser mais fácil. Não vamos ter gastos, até porque os atletas moram nas suas próprias casas”, explicou o treinador da equipe que também vai mandar os jogos na capital.

Com 21 jogadores no elenco – em grande maioria da  base, como pede o regulamento – Alberone vai contar apenas com cinco jogadores acima de 22 anos. “Podemos contar apenas com quatro jogadores acima de 22 anos, mas conversei com o Mario Ivan (diretor de futebol) para ter mais um, já pensando em lesão ou qualquer problema. Assim trouxemos o Cleitão (zagueiro), Elton (volante), Franco (lateral-direito), Alberto (lateral-esquerdo), o Jeferson nosso meia-atacante no estadual e artilheiro da equipe com 12 gols e o Canhoto atacante que marcou 10 gols”, afirmou.

Experiência

Treinador de “primeira viagem” em uma competição profissional, Alberone não se intimida quando o assunto é vaga para a Copa Verde. Segundo o  treinador – que não pensa em encerrar a carreira como jogador -, a experiência adquirida dentro de campo e em um estágio no Vasco  dão garantias para a busca da  vaga. “Eu passei minha vida toda jogando futebol. Eu sou o terceiro jogador com mais passagens em números de clubes, 34 ao todo. Por onde passe fui capitão e fiz um estágio de 22 dias no time profissional do Vasco. Não que isso venha me dar uma experiência completa como treinador, mas essa experiência me dá uma base”, garante o comandante Borbense.

Publicidade
Publicidade