Publicidade
Esportes
TRIBUNAL DESPORTIVO ACIONADO

Nacional denuncia Penarol e Fast por escalação irregular de jogadores

A defesa do Nacional alega que os jogadores Raílson e Branco, do Penarol, e Charles Chenko, do Fast, não cumpriram suspensão desportiva 07/02/2019 às 00:28 - Atualizado em 07/02/2019 às 00:32
Show artilheiros ae663f17 52df 4d50 ac0f ea1430c6ee8d
Da esquerda para direita, Railson e Branco. Foto: Arquivo AC
Camila Leonel Manaus (AM)

O Campeonato Amazonense 2019 mal começou e o Estadual já deve ganhar os tribunais. Isso porque o Nacional apresentou na noite dessa quarta-feira (6) uma Notícia de Infração contra o Penarol por suposta escalação irregular dos jogadores Raílson e Branco na estreia do Barezão, no último domingo (3), e contra o Fast pela escalação de Charles Chenko, na última terça-feira (5).

Na primeira rodada, o Nacional jogou contra o Penarol na Arena da Amazônia e foi derrotado pelo time de Itacoatiara pelo placar de 2 a 1, os gols penarolenses foram marcados justamente por Branco e Raílson.

A defesa do Nacional alega que os jogadores não cumpriram a suspensão de dois jogos imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas.

“Charles, Branco e Raílson foram suspensos pelo TJD em abril do ano passado e nunca cumpriram a suspensão. Tenho o processo deles. Qualquer comutação de pena ou transação desportiva deveria estar no processo. Não houve”, disse o advogado que representa o Nacional, Marcelo Amil.

Os jogadores foram punidos com dois jogos de suspensão em processo julgado no dia 30 de abril de 2018 referente ao jogo contra o São Raimundo, pelo Amazonense do ano passado. Na partida, vencida pelo Penarol, os jogadores - incluindo Charles Chenko, que hoje está no Fast Clube - comemoraram o tento na faixa da torcida são raimundense, o que foi interpretado como provocação, de acordo com o artigo 258-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). A pena é de duas a seis partidas de suspensão.

Procurado pela reportagem de A Crítica, o atacante Raílson alegou que cumpriu a punição juntamente com Charles Chenko na Série B do Barezão, que aconteceu em outubro passado. “Eu cumpri na Série B, porque eu e o Charles jogamos pelo Iranduba. A (pena) do Branco foi cesta básica”, disse o jogador. Perguntado em quais jogos ele cumpriu a punição, Raílson alegou que não lembrava.

Em consulta às súmulas do site da Federação Amazonense de Futebol (FAF), tanto Raílson quanto Charles Chenko aparecem relacionados em todos os cinco jogos que o Hulk fez pela Série B. Raílson, inclusive terminou a competição como artilheiro, com cinco gols, marcados nos jogos contra Holanda, Clipper e Tarumã. Charles marcou dois gols. Na partida contra o Sul América, na quarta rodada, Raílson não fez gol, mas é citado por levar cartão amarelo.

Tribunal alega que nada consta

Quando um jogador é punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-AM), há uma ficha que mostra a situação do atleta e se a pena foi cumprida ou não. Procurada pela reportagem, a secretaria do TJD alegou que nada consta na ficha dos atletas.

O presidente do Tribunal, Edson Rosas, afirma que a punição pode ser revertida em ações sociais como entrega de cestas básicas, o que pode ter sido o caso dos jogadores. Rosas, porém, afirmou que está analisando o processo.

Publicidade
Publicidade