Publicidade
Esportes
Craque

Nacional e Princesa do Solimões decidem hoje, às 15h, quem será o primeiro campeão da Arena da Amazônia

Essa será a terceira final seguida das equipes e a primeira final no estádio construído para a Copa do Mundo 19/06/2015 às 21:30
Show 1
Experiência x Juventude! Lana e Zé Marco duelam na Arena
Anderson Silva Manaus (AM)

Chegou o tão esperado dia para os amantes do futebol amazonense, principalmente para Nacional e Princesa do Solimões que vão disputar a final do Campeonato Amazonense 2015, hoje, às 15h, na Arena da Amazônia. É a primeira final de um Barezão num dos mais belos estádios da Copa de 2014. No primeiro jogo da final o Nacional venceu por 1 a 0, e aumentou  ainda mais a vantagem, podendo perder por até por até 1  gol de diferença que conquista o bicampeonato.

Pela terceira vez consecutiva as duas equipes se enfrentam em uma final de Campeonato Amazonense. Uma conquista para cada lado – com uma leve vantagem para o Nacional que conquistou o título de 1995 em cima do rival. E no último jogo do Estadual 2015, os técnicos Aderbal Lana e Zé Marco põem no tapete verde da Arena “as cartas” que podem fazer toda a diferença na luta pelo título da temporada

O CRAQUE elencou quem são os jogadores do Leão e Tubarão que podem fazer toda a diferença na “jogada de mestre”, de ambos os treinadores, para se tornarem os primeiros campeões de um torneio oficial no estádio utilizado na Copa do Mundo.

Trio de “reis”

Durante a semana, Lana teve reintegrado ao grupo o atacante Leonardo. Afastado desde a 18ª rodada com uma lesão no abdômen, o jogador voltou e poderá ser utilizado na partida. Ausente da primeira final, o lateral João Rodrigo está de volta.

Assim como foi quase em todos os jogos, Lana vai ter disponível um trio que faz a diferença nas partidas.

A contar do gol. Rodrigo Ramos é o goleiro que tem dado segurança ao gol nacionalino, com defesas importantes.

Mais no meio, o volante Lídio não só marca como avança ao taque, tanto é que hoje acumula quatro gols. Uma bela “carta na manga” do experiente técnico Aderbal Lana.

Na criação, o meia Charles desempenha a função com qualidade e se torna uma preocupação dos adversários. Assim como a carta “coringa”, o meia tem a possibilidade de a qualquer minuto mudar a história do jogo, principalmente em uma final de campeonato.

Publicidade
Publicidade