Publicidade
Esportes
Leão sedento

Nacional encara o Princesa em busca de quebrar tabu no Gilbertão

Sem vencer o Princesa na temporada, o Nacional vai até Manacapuru com sede de vitória para chegar a mais uma decisão 24/05/2017 às 10:12 - Atualizado em 24/05/2017 às 13:27
Show le
Técnico Arthur Bernardes tenta matar a sede de vitórias do Leão sobre o Tubarão (Foto: Denir Simplício)
Denir Simplício Manaus (AM)

Princesa do Solimões e Nacional sempre fizeram jogos quentes, e o duelo desta quarta-feira (24), às 16h, no estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão, promete “botar fogo” na rivalidade entre Leão e Tubarão.

Finalistas dos Estaduais de 2013, 2014 e 2015, Tubarão do Solimões e Leão da Vila Municipal ainda se pegaram na semifinal de 2016, quando o Princesa despachou o Nacional, por 2 a 0, e chegou a sua quarta final seguida do Barezão.

Nessa temporada, o Leão ainda não sabe o que é bater o adversário de Manacapuru no Estadual. No turno, num jogaço de futebol, o Tubarão devorou o Naça por 4 a 3. No retuno, jogo morno e um empate em 0 a 0, quando as equipes pareciam guardar suas forças para a fase seguinte da competição.

Chan prevê dificuldades

Apesar de jovem, o atacante Jackie Chan conhece muito bem a rivalidade entre Princesa e Nacional. O jogador de 20 anos esteve em campo na derrota do Leão para o Tubarão, no 1º turno e acha que o time de “Manacá” não vai dar mole pro Naça em seus domínios.

“A gente sabe que o Princesa é um time entrosado há bastante tempo e lá dentro é um jogo difícil, né? Eles tem um jeito de jogar lá e conhecem bem os detalhes do campo”, disse o jogador que analisou a vitória do Tubarão contra o Real Ariquemes, pelo Brasileirão da Série D, dará mais moral ainda pro elenco alvirrubro.

Chan (ao centro) prevê jogo duro em "Manacá" (foto: Evandro Seixas)

“Acho que a vitória deles pelo Brasileiro da Série D vai motivar ainda mais o time deles. Eles devem vir com mais moral pra cima da gente, mas confiamos no nosso elenco, no nosso potencial e confiamos que lá fora vamos fazer um grande jogo”, avaliou o jogador que vem constantemente entrado no decorrer dos jogos.

Chan também comentou o adeus do meia Michel Parintins da equipe do Princesa e apontou que a saída do jogador parece ter feito bem ao time do técnico Alberone Souza.

“Fiquei sabendo da saída do Michell e parece que com a saída dele o time embalou, né? (risos). Mas acho que não tem isso, no jogo vai ser 11 contra 11 e vamos fazer nosso jogo”, afirmou Chan numerando as dificuldades que o Nacional encontrará na tarde hoje no Gilbertão.

“Vai ser tudo complicado: o calor, a torcida e o time (Princesa) porque lá dentro eles são ‘chatos’ pra jogar. Mas nós confiamos no bom trabalho que o professor Bernardes está fazendo e confiamos que vamos sair de lá com um bom resultado”, concluiu Jackie Chan.

Muita bola nas redes é o que promete o duelo entre Tubarão e Leão (Foto: Denir Simplício)

Sem vencer o Tubarão desde 2015, o Leão tenta quebrar incômodo tabu de quase dois anos contra o Princesa. Nos últimos cinco duelos entre as equipes, o Naça marcou quatro vezes, mas tomou 11 gols, o que prova sair de “Manacá” com um empate já será um grande passo para o Naça chegar à decisão de Barezão 2017.

Publicidade
Publicidade