Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
Jogo Nacional e Vasco

Nacional encara o Vasco em São Januário nesta quinta-feira(29)

Técnico do Leão da Vila diz que quer o time mais agressivo, intenso e emocionalmente equilibrado para enfrentar o Vasco dentro de casa



1.jpg Antes titulares, reservas do Nacional se inspiram em vitórias marcantes em 2013 para surpreender o Vasco em São Januário
29/08/2013 às 08:16

O Nacional enfrenta o Vasco nesta quinta-feira(29), às 20h50 (horário de Manaus), no estádio de São Januário, pelo jogo de volta das oitavas-de-final da Copa do Brasil como franco atirador. Mais focado na partida da próxima segunda-feira, contra o Salgueiro, pela Série D do Campeonato Brasileiro, o Naça viajou para enfrentar a equipe carioca com o time reserva. Mas apesar da missão de ter que vencer o Vasco por três gols de diferença para conquistar a classificação para a próxima fase, o time amazonense não está morto e quer surpreender o adversário dentro do seu caldeirão. O técnico Léo Goiano viaja hoje pela manhã e se reúne com o plantel nacionalino momentos antes da partida. 

Mas apesar do Naça jogar contra o Vasco com o time B, o Leão da Vila Municipal terá em campo jogadores experientes como lateral Amaral, os meias Roberto Dinamite e Danilo Rios, além do atacante Leonardo, todos titulares nas partidas em que o Nacional eliminou o Coritiba e a Ponte Preta em fases anteriores da competição.

O lateral-esquerdo Badé disse que os jogadores nacionalinos estão motivados em fazer história, conquistar a primeira vitória contra o Vasco e eliminar os cariocas em pleno São Januário, no Rio de Janeiro.

“É difícil, mas não é impossível. Se conseguirmos marcar bem o time do Vasco e atacar com velocidade como quer o professor Léo Goiano, temos boas chances de sair do Rio com uma vitória. Já joguei contra o Vasco em 2001, quando atuava pelo Coritiba, e empatamos em 1 a 1. Agora, quero fazer história pelo Nacional e vencer aqui. Treinamos muitas cobranças de penalidades, caso seja necessário. Cheguei a falar para a minha esposa que será emocionante nós chegarmos desacreditados e calar a torcida vascaína”, prevê Badé.  

Para o volante Roberto Dinamite, que está atraindo a atenção dos torcedores e da imprensa carioca por ter o mesmo nome que o maior ídolo da história do Vasco, o ex-atacante Roberto Dinamite, atual presidente do clube, a partida é difícil, mas o Nacional pode surpreender. “Sabemos que temos qualidades e em futebol tudo pode acontecer. Esperamos voltar classificados de São Januário. Sobre o fato de jogar contra o time do coração meu pai (Ocival Prado), deixo a emoção para ele, que está muito feliz por este momento, mas eu quero ajudar o Naça a vencer e conquistar a vaga para a próxima fase da Copa do Brasil”, afirmou o meia amazonense do Naça. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.