Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
Nacional vence Princesa

Nacional faz 4 x 2 contra o Princesa e ganha vantagem no segundo turno

Mesmo com dois jogadores expulsos, Nacional bate o Princesa do Solimões por 4 a 2, garante boa vantagem e coloca a mão na taça do segundo turno



1.png Nacional venceu o Princesa do Solimões por 4 a 2
09/05/2013 às 07:57

O Nacional suportou a pressão do Princesa do Solimões jogando desde os 20 minutos do segundo tempo com nove jogadores em campo, depois da expulsão de Rocha e Charles, e venceu por 4 a 2, nessa quarta-feira(08), no estádio Roberto Simonsen, o campo do Sesi, na primeira partida da final do segundo turno do Campeonato Amazonense Chevrolet 2013.

Agora, o Naça pode até perder por  um gol de diferença no próximo sábado para ficar com o título de campeão do returno do Estadual. Mais uma vez o atacante Felipe fez a diferença em campo. Com muita velocidade e oportunismo, ele marcou duas vezes, chegando aos nove gols na competição, e já começa a ameaçar a artilharia do atacante Robemar, do eliminado Penarol, que tem 12.

A partida começou  equilibrada, com as duas equipes se revezando no ataque. Aos 20 minutos, Leonardo desceu com perigo pela esquerda e cruzou na área adversária. Felipe tocou para Charles que, de cabeça, fez  1 a 0 Nacional. Nove minutos depois, o Princesa chegou ao empate. Falta no lado direito e Gelvane bateu cruzado na área, o baixinho Marinelson subiu mais que os altos zagueiros nacionalinos e empatou a partida, definindo o placar do primeiro tempo.

O Nacional voltou mais avançado no segundo tempo. Logo aos cinco minutos, Bigu cruzou na área e He-Man botou a mão na bola. O árbitro deu pênalti. Felipe bateu bem, fazendo 2 a 1. Mais três minutos depois o zagueiro Rocha, que tinha entrado no lugar de Morisco, chutou sem bola o meia Vinicius e foi expulso. Mas, quando parecia que o Tubarão iria tirar proveito de ter um homem a mais,  quem ficou melhor foi o Naça.

Após cruzamento, Felipe se antecipou à defesa e tocou para as redes, fazendo 3 a 1. Em seguida, Edinho Canutama foi derrubado na área e o árbitro assinalou penalti, que foi convertido por Vinicius. Para complicar ainda  mais a vida do Naça, Charles fez falta dura em He-Man e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso.

A partir dai, o jogo ficou dramático. O Princesa atacava com três atacantes: Joiner, Marinelson e Canutama. Mas numa noite inspirada, o Naça chegou ao quarto gol. Roberto Dinamite tocou para Danilo Rios, que bateu cruzado fazendo 4 a 2 Nacional. Marinelson ainda pisou em Andrezinho e foi expulso pelo árbitro Paulo César Oliveira. Apesar da pressão do Tubarão, o Naça  administrou a vantagem até o final.

Lana destaca vitória

Ao final da partida, o técnico do Nacional, Aderbal Lana, destacou o espírito de luta do Nacional. “O problema era ganhar a partida. Um jogo cheio de emoções que valeu pela luta dos jogadores. Vamos pensar com calma como vamos enfrentar o Princesa em Manacapuru”, disse Lana. 

Abatido, Marquinhos lamentou a derrota, mas acredita na virada em Manacapuru. “Falei que iríamos enfrentar uma grande equipe. Agora é reverter o quadro em Manacapuru”, aposta o treinador.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.