Publicidade
Esportes
Craque

Nacional joga pelo empate e São Raimundo pela vitória

Sem jogo de compadre! Tufão e Leão vão ter que ir para o pau, afinal de contas, uma derrota pode significar eliminação 09/03/2013 às 16:20
Show 1
Alegria dos jogadores do Nacional com mais um gol
Bruno Tadeu e Augusto Costa ---

Focados na classificação para a fase semifinal do 1º turno do Campeonato Amazonense Chevrolet 2013, São Raimundo e Nacional entram em campo neste sábado (09) à tarde, às 15h, no estádio Roberto Simonsem, (campo do Sesi), com as atenções voltadas para a partida entre Sul América e Princesa do Solimões que jogam no mesmo horário no estádio Floro de Mendonça em Itacoatiara.  

É que o Trem da Colina e o Tubarão estão com quatro pontos ganhos e em caso de uma vitória, podem chegar a sete e ficar com uma das duas vagas do Grupo A. por isso, para não correr riscos, o Naça que tem seis pontos e Tufão, com cinco, não poderão fazer “jogo de compadres” para garantir a classificação e o primeiro lugar na chave, sem depender de outros resultados. Em suma, só a vitória interessa para as duas equipes.

Segundo o técnico do Naça, Vilson Tadei, a derrota por 1 a 0 para o Princesa do Solimões no domingo passado, não abateu os jogadores que vão pra cima do  Tufão em busca da vitória.   

Goleiro faz a diferença

É consensual que o gol é o momento de maior emoção no futebol, até mesmo para os goleiros, que raramente têm essa responsabilidade. Contratado nesta temporada para defender o Nacional, o paulista Carlos Luna, 30, vem mostrando que o esporte bretão proporciona ocasiões de euforia muito além da meta principal. Dependendo do grau de dificuldade da defesa, ele comemora como se fosse um gol. Em alguns casos, como se fosse um título.

Para a maioria dos torcedores, essa característica do goleiro Carlos Luna ficou perceptível no jogo de estreia, contra o Rio Negro. No primeiro lance de perigo do adversário, o atacante Maranhão chutou forte, para uma boa defesa de Luna no canto direito da meta. Ao se levantar, o nacionalino saltou, deu um soco no ar, ajoelhou-se e vibrou como se já fosse campeão amazonense.

Até mesmo nos treinos, reações como essa são comuns por parte de Luna. “Isso é uma coisa que vem comigo. Quando chego dentro das quatro linhas eu me transformo. Ali, eu reajo naturalmente. É explosão, alegria e eu sei a importância que é defender um gol. É a mesma coisa que estar fazendo um gol”, explica o goleiro.

Luna reconhece que esse tipo de reação atrai respeito e identidade com a torcida, mas nega segundas intenções com as comemorações. “Não é uma coisa que eu queria chamar atenção. Acho que isso contamina até os jogadores nos momentos difíceis, e o torcedor também. Mas o carinho da torcida é o melhor. Fora de campo tem a retribuição. A torcida acompanha”, disse.

Em 15 anos de carreira, Luna comemorou defesas em 19 clubes no Brasil e no exterior. Ele teve experiência no Chile, quando defendeu o Deportes Temuco, e no Paraguai, na passagem pelo Sportivo Trinidense. Revelado no Ituano-SP, ele tem como principal conquista o título do Campeonato Paulista de 2002.

O sonho de ser goleiro desde criança ajudou Luna a criar um estilo diferente de entender o futebol, no qual exalta o seu sucesso de uma diferenciada. Até porque, balançar as redes nunca foi com ele. “(Ser jogador de linha) nunca passou pela minha cabeça, até porque, com a bola nos pés não vai”, brincou o realista e performático Carlos Luna.

Stanley defende o Tufão

O goleiro Stanley se recuperou das dores no joelho esquerdo e está confirmado no time do São Raimundo. Ele disse que está pronto para fechar o gol e ajudar o Tufão da Colina a conquistar a vitória que garante a classificação para a fase semifinal da competição. Mas a bruxa está solta entre os goleiros da Colina, o reserva de Stanley, Rogério torceu o joelho esquerdo durante o treino de apronto na sexta-feira e está fora da relação para a partida. Com isso, o recém contratado Júlio que chegou do Comercial de Mato Grosso do Sul, vai no banco de reservas.

“Estava com muitas dores no joelho esquerdo. Fiz os testes físicos no treino de apronto e felizmente não senti nada. Estou pronto para jogar. É um clássico e só a vitória nos interessa para sairmos de campo com a classificação para a fase semifinal”, afirmou Stanley.

O técnico Eduardo Clara faz mistérios na escalação do Tufão, e disse que tem várias opções táticas para neutralizar o adversário. “Pode ser a equipe que entrou contra o Sul América como podemos ter alterações. O Marinho pode começar no ataque.”, disse Clara. 

Publicidade
Publicidade