Publicidade
Esportes
Craque

Nacional lança projeto futurista para voltar à elite do futebol brasileiro no ano de 2024

Com uma série de vantagens para os torcedores e a 'conscientização' dos dirigentes nacionalinos, o projeto chamado de 'Série ‘A’ 2024', se inicia pra valer 26/09/2014 às 10:52
Show 1
Diretoria reuniu torcedores e imprensa no lançamento do projeto
Anderson Silva ---

Um projeto que promete levar o futebol amazonense a Série A pode ser a garantia do Nacional de sair, definitivamente , do fundo do poço do futebol brasileiro. Com uma série de vantagens para os torcedores e a “conscientização” dos dirigentes nacionalinos, o projeto chamado de “Série ‘A’ 2024”, se inicia pra valer com a “conquista do bicampeonato estadual em 2015” e com um acesso para a terceira divisão até o ano de 2017 e, assim, conseguir outros acessos de dois em dois anos até 2024. A estratégia, mais uma vez envolvendo um a equipe local, chega ao Leão por iniciativa da diretoria de uma empresa amazonense de marketing.

“Esse projeto começou durante o Campeonato Estadual e não após o título de campeão 2014. Resolvemos apresentar agora porque concluímos todo o projeto”, disse o presidente do Nacional, Mario Cortez, durante a coletiva na tarde de ontem na sede do clube.

O diretor da empresa responsável pelo projeto, a Ben Marketing, Roberto Peggy, tem a meta de 10 anos para a conclusão do projeto. “O brasileiro não tem o ato de planejar. É um projeto ousado que visa levar o Nacional pouco a pouco a subir de categoria, além de tudo manter o pé no chão, sem criar falsas expectativas, sem viajar muito e sem mexer no lado emocional da torcida”, disse o diretor que assumiu a gestão de marketing do clube.

Rede leão de descontos

O projeto garante ao sócio torcedor do clube descontos em diversas lojas de Manaus e 50% de descontos na aquisição dos ingressos. Anúncio e comerciais nos veículos de comunicação da cidade é a forma de atrair os torcedores.

“Sem planejamento”

Nos últimos dez anos, entre 2003 a 2013, o Nacional disputou sete campeonatos brasileiros sem atingir o objetivo. “Em todos esses anos o Nacional não fez um planejamento para dizer: vamos realizar isso ou aquilo. Futebol a gente não faz por fazer. O grande segredo é não errar nas contratações. Infelizmente no passado não tivemos planejamento”, disse Mário Cortez, que afirmou não existir influência externa nas escalações da equipe. “Eu acredito que não seja no meu mandato, porque nem ao centro de treinamento eu vou. Ninguém está autorizado a fazer. Na minha gestão quem escala o time é o treinador”, enfatizou.

Publicidade
Publicidade