Publicidade
Esportes
Craque

Nacional lutou, mas Vasco venceu por 2 a 0

Time amazonense criou chances de gol, foi melhor no primeiro tempo e poderia ter saído vencedor, mas o Vascão cresceu, se aproveitou do desespero nacionalino e marcou 2 gols com Tenório 21/08/2013 às 08:45
Show 1
Experiente Tenório marcou os gols da vitória do Vasco
AUGUSTO COSTA ---

Com dois gols do atacante Tenório, o Vasco da Gama venceu o Nacional por 2 a 0, ontem no estádio Roberto Simonsen, pela quarta-fase da Copa do Brasil, na véspera do seu aniversário de 115 anos de fundação, e leva de Manaus uma vantagem importante para conquistar a classificação para a próxima fase da competição na partida de volta no dia 29, em São Januário.

O Naça lutou até o final e deu sufoco na equipe carioca, mas numa noite pouco inspirada dos seus atacantes perdeu muitas oportunidades de gols no primeiro tempo. O goleiro Diogo Silva, numa noite inspirada, salvou os vascainos com grandes defesas. Agora o Leão da Vila Municipal, volta a campo no domingo contra o Náutico (RR), pela Série D do Brasileiro, em Manaus, quando vai lutar por uma vitória para conquistar o primeiro lugar no grupo A1.

O Vasco começou assustando com Pedro Ken que arriscou de fora da área e obrigou o goleiro nacionalino Gilberto a praticar a defesa. O Naça respondeu com Danilo Rios, que lançou Felipe em profundidade livre de marcação e, quando ia finalizar, deu o passe para Leonardo que tocou para o fundo das redes, mas o árbitro paraense Dewison Fernando Freitas anulou o gol marcando impedimento. A partir daí o jogo pegou fogo com as equipes se revezando no ataque. O volante Dênis perdeu a bola no meio-campo, Tenório entrou livre e chutou para defesa de Gilberto, no rebote Éder Luís, bateu para grande defesa do goleiro do Naça.

O susto acordou o Leão. O meia-atacante Evandro tocou para Felipe que, livre de marcação, chutou pra fora perdendo excelente oportunidade de gol. O Naça ainda perdeu dois gols feitos com Leonardo e Danilo Rios, que finalizaram mal. Aos 44 minutos, escanteio para o Vasco. Felipe Soutto cobrou e o atacante Tenório subiu mais que a zaga azulina e tocou de cabeça fazendo 1 a 0 Vasco, placar do primeiro tempo.

O Naça voltou mais ofensivo e pressionava o Vasco que saia nos contra-ataques com Tenório e Éder Luís. Andrezinho viu o goleiro adiantado e mandou um “balaço”, de fora da área, mas Digo Silva fez ótima defesa. O Naça queria o empate. Aos 21 minutos, Felipe recebeu na entrada da área e bateu com perigo no ângulo superior direito de Diogo que, numa noite inspirada, defendeu. Danilo Rios também arriscou de longa distância e o goleiro vascaino voltou a salvar o time. Mas aos 45 minutos, Cristiano perdeu a bola para Éder Luís que entrou livre e foi derrubado por Morisco. O árbitro deu penalidade máxima. Tenório bateu com categoria fazendo 2 a 0 Vasco e definindo a partida, para frustração dos nacionalinos que ainda acreditavam no empate.

Dorival cauteloso

A vantagem de dois gols para o jogo de volta em casa, não entusiasma tanto o técnico do Vasco Dorival Júnior, que espera outra batalha em campo. Após o jogo, o treinador concedeu coletiva com discurso “pé no chão”. “O Nacional é uma equipe bem postada em campo, com dois articuladores de meio campo bastante habilidosos. Então teremos outro jogo complicado em casa. Trata-se de um time traiçoeiro do ponto de vista da postura em campo. É perigoso”.

Dorival afirmou que seus comandados atuaram em um jogo atípico em campo, bem aberto e com espaço para armar as jogadas. “Não estamos muito acostumados com jogos com essa caracteristicas, mais abertos, com espaço pra criação das jogadas. Foi uma partida franca, onde ambas as equipes tiveram liberdade. A vitória é importante, mas o time ainda pode melhorar”, avaliou o técnico vascaíno.

Autor dos dois gols da vitória do Vasco, o atacante equatoriano Tenório, 34, saiu de campo com sensação de dever cumprido e de que superou a fase de lesões. “Ano passado eu não tive um ano bom por causa das lesões. Mas trabalhei e me recuperei bem. Sei que esse dois gols não garantem minha condição de titular no time, mas sou um jogador de grupo. Para mim mais vale os três pontos, que é para a equipe, que ser artilheiro, que é uma coisa individual”, afirmou o experiente atacante.

O camisa 10 Pedro Ken é um dos mais assediados pela imprensa e pela torcida, mas ontem não teve atuação das melhores diante do Nacional. Ainda assim, ele disse que o time soube manter uma boa postura em campo e soube assimilar bem a pressão nacionalina, sendo eficiente nos contra-ataques. “Nossa equipe soube ser eficiente na hora certa”, resumiu.

Léo Goiano elogia

No final da partida os jogadores do Nacional lamentaram as chances perdidas. O meia-atacante Danilo Rios teve uma grande atuação, mas não conseguiu levar a equipe a vitória.

“Fizemos um bom primeiro tempo e poderíamos ter definido a partida, mas falhamos nas finalizações infelizmente. O Vasco soube aproveitar as chances que criou”, lamentou Rios.

O zagueiro Emerson afirmou que o time fez um ótimo primeiro tempo, mas perdeu várias oportunidades de gols que fizeram falta no final da partida. “Quem esteve aqui hoje (ontem) viu que a equipe do Nacional foi melhor nos 90 minutos. Mas infelizmente no futebol nem sempre o melhor time ganha”, lamentou o zagueiro.

Já Evandro, que foi fundamental nas últimas partidas pelo Naça na Série D, reconheceu que a forte marcação do Vasco, impediu de tentar os chutes de fora da área. “Eles não deixaram que eu pudesse chutar. Perdemos muitos gols no primeiro tempo e time grande, quando chega na frente, não erra gols. Futebol é assim: quem não faz leva. Agora é pensar no Náutico no domingo e lutar pelo primeiro lugar na classificação”, avaliou Evandro.

Apesar da derrota o técnico Léo Goiano elogiou a postura do Naça principalmente no primeiro tempo. Ele disse que em futebol tudo é possível e que ainda acredita na classificação na Copa do Brasil. “Na verdade fizemos um grande jogo contra uma equipe de Série A. Tivemos algumas falhas pontuais. Quando se joga contra time grande não podemos errar porque eles não perdoam; e foi o que aconteceu. O grupo está de parabéns e uma hora isso iria acontecer. Não posso chegar aqui é dizer que somos os melhores do mundo. Esse grupo merece todo o respeito”, afirmou Goiano.

Publicidade
Publicidade