Publicidade
Esportes
Projeto do naça

Nacional quer manter uma base, apostando na continuidade do elenco em 2017

Na volta às atividades visando o campeonato amazonense, a palavra que mais se ouviu foi 'continuidade' 25/07/2016 às 21:09 - Atualizado em 26/07/2016 às 13:37
Show allan 1170x480
O treinador Alan George quer restaurar o futebol da equipe (Foto: Assessoria do Nacional)
Camila Leonel Manaus (AM)

Ao que parece, o Nacional aprendeu com os erros cometidos em 2016 e pretende fazer diferente não só no Barezão, mas no planejamento para 2017. A ideia é manter o grupo que ficou para a disputa do Barezão para a próxima temporada.

“Vamos ficar com uma base para o ano que vem. Conquistar um calendário para o ano que vem  porque tem que ser campeão para conquistar tudo: Copa do Brasil, Copa Verde e Série D. Vamos trabalhar para sermos campeões e pela primeira vez o Nacional vai manter uma base para o ano seguinte porque nós entendemos que conseguindo manter um time com qualidade, entrosamento e aclimatação porque nós entendemos que sem uma base não vamos chegar a lugar nenhum”, disse o diretor de futebol, Carlos Souza.

Além de Radar, Roberto Dias e Álvaro, o lateral direito, Osvaldir, pediu para ser desligado do Nacional. O jogador viajou para Minas por problemas familiares, mas já está desligado do clube. A ideia é fechar o plantel na faixa de 26 jogadores – atualmente o Nacional tem 29 – e, para o próximo ano, deixar em torno de 15 jogadores para ser a espinha dorsal do Naça.

Quanto aos lesionados: Wanderley, Hugo, Victor e Leandro Chaves, o compromisso é manter os jogadores no time até o ano que vem. Wanderley voltou a fazer trabalhos na academia e deve voltar ao time durante o Campeonato Amazonense.

Dentro de campo, o time treinou em dois períodos e o técnico Alan george está otimista com o futuro do time.

“Nós vamos agora procurar com essa volta do grupo resgatar tudo o que aconteceu no primeiro semestre. Eu acho que temos que procurar fazer esse campeonato estadual com muita dedicação, muita raça, muita vontade. Mostrar para esses jogadores, o que é vestir, verdadeiramente, a camisa do Nacional”, declarou.

Publicidade
Publicidade