Publicidade
Esportes
Craque

Nacional supera campo precário e vence Náutico em Roraima

Atuando em um campo em péssimas condições, Naça consegue vencer o Náutico-RR conquistando os primeiros três pontos na disputa do Campeonato Brasileiro da Série D 03/06/2013 às 11:15
Show 1
Partida foi disputada em um campo sem as mínimas condições
Paulo Ricardo Oliveira ---

Não foi uma apresentação digna do que time que vem se destacando na Copa do Brasil, mas o Nacional estreou com vitória na Série D, sobre o Náutico, da cidade de Caracaraí (RR), por 2 a 1, sábado, no estádio Ribeirão, e vai receber o Plácido de Castro (AC), em casa, no próximo sábado, às 16h, no estádio Roberto Simonsen, Clube do Trabalhador (Sesi).

O zagueiro Rafael Morisco abriu o placar com um chute rasteiro de fora da área após receber a bola rolada do meia Danilo Rios. Márcio Abrahão derrubou Heitor, craque do Náutico, dentro da área e o árbitro maranhense Danilo Souza apontou a penalidade máxima. Eduardo bateu e empatou para os donos da casa (1 a 1 ) aos 45 minutos do primeiro tempo.  Melhor do Leão da Vila em campo, Danilo Rios fez 2 a 1, também chutando rasteiro de fora da área aos 26 minutos da segunda etapa. O camisa 10 do Naça, aliás, vai confirmando a condição de craque do time pela regularidade e pela qualidade técnica demonstrada em campo.

Conformado com o resultado negativo em casa, o técnico do Náutico, Serginho Góes atribuiu a derrota às falhas de pontaria do seu time. “Pecamos muito na finalização. Não soubemos aproveitar as chances. e quem não faz, leva”.

A equipe sob comando de Aderbal Lana jogou com um a menos em campos desde os dez minutos do segundo tempo, quando Márcio Abrahão foi expulso por levar o segundo cartão amarelo. Lana então lançou mão do zagueiro Eliézio no lugar do atacante Felipe e deu chance para Michel Parintins em substituição a Ediglê, que não teve aproveitamento bom jogando como volante. 

A partida não teve a qualidade técnica que se esperava por parte do Nacional muito em parte pelo péssimo estado do gramado do Ribeirão, localizado no bairro Tancredo Neves, zona oeste de Boa Vista, que tinha buracos e poças de lama. O Naça teve maior posse de bola desde o primeiro tempo, mas era o Náutico que atacava com mais perigo até o fim da primeira etapa. 

Ainda antes do término do primeiro tempo Lana substituiu o lateral esquerdo Weslei Bigu por Rodrigo ìtalo por questões de tática. O treinador quis dar maior eficiência às jogadas pelo lado esquerdo. Bigu não gostou de ser substituído e saiu sem cumprimentar seu substituto e muito menos Lana, que não gostou do comportamento tático da equipe como um todo, mas admitiu que a má qualidade do gramado prejudicou a característica de jogo do seu time. “Esse gramado aqui estava horrível, sem a mínima condição de jogo. Mas tivemos falhas na partida que precisamos corrigir”.

Publicidade
Publicidade