Publicidade
Esportes
Leão se foi mas o Espírito Santo continua

Nacional venceu o Gênus, mas gol do Espírito Santo aos 47 do 2º tempo o elimina da Série D

Leão da Vila venceu o jogo por 2 a 0, mas o gol do Espírito Santo nos últimos minutos, o tirou da competição 17/07/2016 às 22:18 - Atualizado em 17/07/2016 às 23:04
Show le o da vila0333
Após eliminação, diretoria deve se reunir para tentar "juntar os cacos". Foto: Evandro Seixas
Denir Simplicio Manaus

A torcida nacionalina comprou a ideia da diretoria do clube, encheu a Colina e torceu como nunca, mas o time em campo decepcionou como sempre. A vitória por 2 a 1, ontem, sobre o Gênus-RO foi o último capítulo de uma novela que se repete anos após ano no Nacional, mas que com certeza, os nacionalinos sabem que não vale a pena ver de novo.

Eliminação espírita
Até o apito final do árbitro na Colina, torcida e parte dos jogadores se abraçavam, comemorando a vitória e a classificação no Grupo A1. No entanto, um gol marcado no estádio Ronaldão, em Poços de Caldas, pela equipe do Espírito Santo, calou torcedores e elenco nacionalino.

Como se fosse um castigo, o tento que eliminou o Naça da Série D deste ano saiu aos 47 minutos do segundo tempo de jogo, fazendo da Colina um templo de desolação azulino.

Na partida, o Leão, que precisava vencer e vencer bem para se garantir da fase de mata-mata do Brasileirão, passou o primeiro tempo apático, como sempre. O Gênus-RO, mesmo precisando da vitória, parecia gostar do empate. Aos 30 minutos de jogo, Rafael Bastos entra na vaga do lesionado Leandro Chaves e, sem saber, se tornaria - na visão dos torcedores - o culpado pela eliminação do Naça. O meia-atacante entrou mal na partida e logo começou a ser perseguido pelos torcedores.

Na segunda etapa, logo aos 2 minutos, o Naça foi ajudado pelo goleiro Tiago, do Gênus-RO, que agrediu Edson Rocha e acabou expulso. O cenário estava perfeito: segundo tempo inteiro pra golear o adversário com um jogador a menos em campo. O  técnico Vagner Benazzi resolveu “incendiar” o time, “barrou” o experiente Nonato e colocou o menino Hayllan em campo. Mas foi Tiago Ulisses que marcou aos 15 minutos com chute de fora da área.

Aos 28min, o renegado Hayllan fez a torcida do Leão explodir com o segundo gol do Naça, que agora tinha de saldo positivo de um gol. Porém, aos 35min veio o tento do Gênus-RO, com Alex em cobrança de falta que desvia na barreira e engana Tom. O Naça se lançou ao ataque e em lance genial, Hayllan chega na linha de fundo e cruza na medida para o perseguido Rafael Bastos, que isola a bola e perde o que seria o gol da classificação do Naça. Fim de partida  e todos se perguntam: de quem é a culpa por mais uma pífia campanha do Nacional na Série D. Uns culparão a diretoria, outros o gol perdido por Rafael Bastos, aposto até que vai sobrar pro Espírito Santo, o time, é claro.

Publicidade
Publicidade