Publicidade
Esportes
Craque

Nacionalino pode ajudar para que sede do Atlético Rio Negro Clube não seja leiloada

Vereador promete enviar projeto para tombar a sede do Rio Negro, evitando leilão por dívidas 30/10/2013 às 09:03
Show 1
Ídolo Eterno ídolo do Rio Negro, Clóvis Aranha Negra comemorou e muito a iniciativa. Ele e outros torcedores estiveram presentes na sede ontem.Honrarias Vereador Samuel aproveitou para visitar sala de troféus do Galo
AUGUSTO COSTA ---

O Atlético Rio Negro Clube poderá evitar o vexame de ver a sua sede ir a leilão no próximo dia 8 de novembro, no ano do centenário, com a ajuda de um nacionalino. Torcedor declarado do Nacional, o vereador Professor Samuel (PPS), pretende apresentar hoje em caráter de urgência na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o Projeto de Lei nº 435/2013 que dispõe sobre o tombamento por interesse histórico e cultural da sede do Galo da Praça da Saudade.

É que uma dívida de R$ 36 mil com a Receita Federal e com o INSS desde 2009, originou o processo que resultou na penhora da sede. Mas o montante total de dívidas do Rio Negro de acordo com levantamento feito pela diretoria do clube é de R$ 3,4 milhões.

Segundo Professor Samuel, a principal finalidade do Projeto de Lei é preservar o valor histórico e cultural da sede, impedindo que o patrimônio de um dos principais clubes do Amazonas vá a leilão.

“O prefeito Arthur Neto está revitalizando o Centro de Manaus. A sede do Rio Negro é um patrimônio histórico da cidade. Vou entrar com esse projeto amanhã (hoje) em caráter de urgência para que o prefeito sancione a lei de tombamento por interesse histórico e cultural da sede do clube evitando que ela vá a leilão. Sou nacionalino, mas a questão aqui é de cidadania e de ajudar o futebol amazonense. Lembro com saudades dos clássicos Rio-Nal desde o tempo do Parque Amazonense, Colina e Vivaldão. Quando vi a questão do leilão me preocupei e abraçamos a causa”, avaliou Samuel.

A proposta do vereador está respaldada no artigo 22 da lei Orgânica do Município (Loman), inciso “I”, alínea “a”, onde está previsto que uma das atribuições da Câmara Municipal de Manaus é proteger documentos, obras e outros bens de valor histórico.

JURIDICAMENTE VIÁVEL

Para o advogado Olivar Durães que é rionegrino, a medida do vereador Professor Samuel é juridicamente viável. Como torcedor do Galo, ele ficou feliz e surpreso com a iniciativa que partiu de um torcedor do Naça.

“O Projeto de Lei é cabível juridicamente e dever ser aprovado na Câmara Municipal. Ele (vereador Samuel) está tentando sensibilizar as autoridades competentes. Estou com receio em relação ao tempo do tramite do processo na Câmara se vai dar tempo de ser aprovado antes do leilão. Mas se for em caráter de urgência é possível”, avaliou Durães.

Até o fechamento desta edição o CRAQUE tentou entrar em contato com o presidente do Rio Negro, Thales Verçosa, na sede do clube e também pelo telefone para comentar o caso, mas ele não foi encontrado.

Torcida comemora iniciativa

Considerado um dos maiores ídolos da história do Rio Negro, o ex-goleiro Clóvis, 62 anos, que estava na sede do clube ontem vibrou com a iniciativa do parlamentar. “Agradecemos ao vereador Professor Samuel pela iniciativa do projeto que prevê o tombamento da sede do clube, mas sabemos que as dívidas vão continuar. Não vou citar nomes mas tenho fé em Deus que essa mesma pessoa que colocou o Rio Negro nessa situação vai ajudar o Galo a sair ajudando a pagar essas dívidas. Quero agradecer como amazonense e rionegrino”, disse Clóvis visivelmente emocionado.

Torcedor tradicional do clube barriga preta, Enédio Negreiros, juntamente com os torcedores Lúcio Marques, Johames Bastos e Ian Luís, aprovaram a iniciativa do parlamentar nacionalino. “Fiquei surpreso porque ele é nacionalino, mas abracei ele e o parabenizei. É o primeiro mandato dele e está beneficiando milhares de torcedores do Rio Negro”, afirmou Negreiros.

“Isso é uma glória para todos nós rionegrinos. Não temos palavras para agradecer. O Rio Negro sem o Nacional não é nada e vice-versa. Fora de campo os torcedores dos dois clubes se dão bem a rivalidade é somente dentro de campo”, disse Lúcio Marques. “Se fosse ao contrário acredito que nós também faríamos a mesma coisa”, afirmou Johames Bastos.

Publicidade
Publicidade