Publicidade
Esportes
Nadador

Ryan Lochte é suspenso por 10 meses por comitê dos EUA após escândalo no Rio

Lochte, medalhista de ouro na prova de revezamento 4x200m livre no Rio, também perderá as recompensas em dinheiro dos Jogos e a quantia que recebe mensalmente do Comitê Olímpico dos EUA e da associação de natação 08/09/2016 às 15:10 - Atualizado em 08/09/2016 às 15:11
Show rs 1024x759 160812045646 1024.ryan lochte rio jr 081216
O nadador norte-americano Ryan Lochte
Reuters

O nadador norte-americano Ryan Lochte foi suspenso por 10 meses e vai perder o campeonato mundial do ano que vem por sua participação em um escândalo envolvendo também outros três nadadores olímpicos nos Jogos Rio 2016, informou nesta quinta-feira o Comitê Olímpico dos Estados Unidos.

Lochte, medalhista de ouro na prova de revezamento 4x200m livre no Rio, também perderá as recompensas em dinheiro dos Jogos e a quantia que recebe mensalmente do Comitê Olímpico dos EUA e da associação de natação, além de ter perdido acesso aos centros de treinamento do comitê.

Ele irá perder o campeonato nacional do ano que vem e, consequentemente, não ficará elegível para o campeonato mundial em julho. Ele deve realizar 20 horas de serviço comunitário e não vai participar da visita da equipe olímpica norte-americana à Casa Branca.

Lochte, de 32 anos, admitiu ter "exagerado" uma história sobre ter sido vítima de um roubo à mão armada após uma festa no Rio de Janeiro.

Gunnar Bentz, Jack Conger, James Feigen, companheiros de Lochte na equipe de natação envolvidos no incidente, também receberam sanções por violarem o código de conduta da equipe olímpica dos EUA.

"Como já dissemos anteriormente, o comportamento desses atletas não é aceitável. Difamaram injustamente nossos anfitriões e desviaram a atenção das conquistas históricas da equipe dos EUA", disse o presidente-executivo do Comitê Olímpico dos EUA, Scott Blackmun, em comunicado.

A federação responsável pela natação mundial, a Fina, informou em comunicado que está satisfeita com as sanções e não irá buscar suspensões adicionais.

"Em relação ao caso dos quatro nadadores dos EUA, cujos comportamentos na Rio 2016 resultaram em suspensões do Comitê Olímpico dos EUA e da associação de natação dos EUA, e agora que os principais fatos foram estabelecidas, a Fina considera que sanções aplicadas são proporcionais, adequadas e suficientes", informou o órgão.

"A Fina não irá aplicar sanções adicionais e irá implementar aquelas impostas aos nadadores em todos os eventos."

Bentz, Conger e Feigen serão suspensos de competições nos EUA e internacionais por quatro meses e não irão receber salários durante o período.

Eles também perderam acesso às instalações de treinos e não participarão de visita à Casa Branca.

Bentz terá que realizar 10 horas de serviço comunitário por violar o toque de recolher imposto pela equipe olímpica aos atletas menores de 21 anos.

No que se tornou uma das maiores histórias da Rio 2016, autoridades brasileiras disseram que o grupo de nadadores destruiu um banheiro de um posto de gasolina e urinou em público, e recomendou que Lochte fosse acusado por falsa comunicação de crime.

Publicidade
Publicidade