Publicidade
Esportes
Craque

Nadadora amazonense de 17 anos treina pela internet e brilha em competições nacionais

Atleta Giovanna Golfetto, de 17 anos, mora em Manaus, compete no Rio e recebe orientações de Santa Catarina e de São Paulo 13/09/2014 às 18:50
Show 1
Nas poucas horas em que fica em casa, a atleta usa a internet para receber orientações
Lorena Serrão ---

A amazonense Giovanna Golfetto, de 17 anos, aderiu, há dois anos, ao “treino online”. Com cada vez mais destaques em torneios estaduais e nacionais de maratonas aquáticas, o que lhe rendeu, inclusive, um contrato com o Botafogo, do Rio de Janeiro, assinado no início do mês, a atleta recebe diariamente instruções do treinador Thyago Huenermann, que mora em Blumenau, Santa Catarina. E tudo isso só é possível, claro, com ajuda da tecnologia. A nadadora também é acompanhada por um fisiologista e a uma nutricionista de São Paulo.

Giovanna treina de segunda a sábado, das 16h às 19h. E todos os dias, antes de sair de casa ela acessa o e-mail para conferir as orientações e também tirar dúvidas com o técnico que está no sul do País. O celular é outra ferramenta que facilita a comunicação entre aluna e professor. Através do aplicativo whatsapp, a nadadora manda vídeos para o instrutor com alguns momentos do treinamento para ele avaliar os pontos positivos e negativos.

No Brasil, o “treino online”, já é usado há algum tempo por muitas pessoas, de diversas modalidades. Mas de acordo com Thyago Huenermann, Giovanna foi a sua primeira aluna à “distância” e ele afirma que no início não tinha certeza se a “estratégia” daria certo.

“O fundamental para que o “treino online” dê certo são a dedicação e a disciplina do atleta. No caso da Giovanna, confesso que no início não estava tão confiante, porque foi a primeira vez que eu orientei um atleta online e não fisicamente. Mas ela é muito dedicada e os resultados positivos apresentados hoje são a prova de que a estratégia deu certo”, disse Huenermann, especialista na preparação de atletas de alto rendimento.

Giovanna concorda com o técnico e conta que decidiu optar pelo “treino online” para não ter que trocar novamente de treinador e assim ter uma queda no rendimento, o que, segundo ela, já aconteceu uma vez.

“Entre 2012 e 2013 eu troquei de técnico e demorei muito para me adaptar e aí fiquei praticamente seis meses sem ganhar nenhuma competição. O novo treinador era justamente o Thyago. Ele trabalhava na Escola de Natação Amaral, de Curitiba, e eu era atleta de lá. Ele passava as instruções, mas eu tinha um técnico que me acompanhava em Manaus”, comentou.

“No inicio deste ano, o Thyago saiu da Amaral e como eu não queria ter que trocar de treinador, com medo de uma possível queda de rendimento de novo, decidi continuar com ele, mas desta vez sem um instrutor para me acompanhar aqui. Foi aí que entraram as orientações através de e-mails e whatsapp”, completou a atleta.

Giovanna participou no último fim de semana da quarta etapa do Campeonato Carioca de Maratonas Aquáticas, na categoria Júnior. Ela ficou em primeiro lugar e foi a quarta atleta no geral. Na segunda etapa do Rei e Rainha do Mar, que aconteceu no início do mês no Rio de Janeiro, ela garantiu o terceiro lugar na prova dos 2.000 m, que reuniu atletas com até 24 anos. Vale lembrar que a competição conta, cada vez mais, com atletas de ponta e que a vencedora foi Betina Lorscheitter, atualmente a terceira do ranking nacional da modalidade.

Publicidade
Publicidade