Publicidade
Esportes
DESAFIO NO PARÁ

Nadadores amazonenses participam de maratona aquática em Alter do chão, no Pará

Oito nadadores da Aquática Amazonas irão participar da maratona de 3 km, no chamado "Caribe amazônico" 05/03/2019 às 17:10 - Atualizado em 06/03/2019 às 20:35
Show whatsapp image 2019 03 04 at 16.16.16 96e5b0e3 1c96 4e1c b099 245b77fea482
Foto: divulgação
Jéssica Santos Manaus - AM

Oito nadadores do Amazonas irão participar da Maratona Aquática TriAlter, que vai acontecer em Alter do chão - PA, no próximo domingo, 10, num trajeto de 3km, com largada e chegada na orla da Vila Balneária.

Andreson Colares, Nilson Monteiro, Giuseppe Moroni, Jucimar Brito, Marcelo Fonseca, Vitor Gadelha, Thiago Nicolau e Elthon Picanço são os nomes dos componentes do time da Aquática Amazonas que viajará até o chamado “Caribe Amazônico” para a prova.  Vitor já superou grandes desafios como o “Leme ao Pontal”, de 35 km, “Desafio solidário”, em que nadou 30km no Rio Negro, Maratona Del Golfo Capri-Napoli, na Itália, de 36 km, e agora vai nadar somente 3km na Maratona de Alter do chão, mas, mesmo a prova sendo curta, ele garante que será desafiadora.

“Será tão desafiadora quanto as outras, até porque vai ter um nível bem forte”, afirma. Seus próprios companheiros de raia são “ossos duros de roer” nas provas, e Vítor vê essa rivalidade de forma muito positiva. “Acaba incentivando todo mundo a querer melhorar ainda mais”, disse ele, que tem como prova principal do ano o Desafio 18km do Rio Negro Challenge, em junho.

Nilson Monteiro também vai fazer a prova, que, para ele, é uma oportunidade de se motivar a treinar. "Com certeza, a prova motivou e, além disso, estou muito curioso pra ver como são as águas por lá, já que o padrão por aqui são as águas escuras do Rio Negro", afirma. 
 

Esporte e família
Thiago Nicolau se destacou durante anos nas piscinas, mas havia decidido parar de competir. No entanto,há seis meses , ele voltou a nadar, participou de algumas provas no Rio Negro, e tomou gosto pelas maratonas. Para a prova de Santarém, ele conta que vai competir motivado pela chance de reunir a família.

“Meu pai nasceu em Santarém, mas foi morar em Belém bem novo. Toda a família dele é de lá, e aceitei participar da prova de imediato por esse valor familiar muito grande. Fui algumas vezes pra Santarém, mas muito criança e não lembro de praticamente nada, da nossa família que ainda mora lá, todos vão assistir, minha avó comprou passagem pra ir... Então estou com uma expectativa muito grande pra essa maratona", conta Thiago. 

Mas ele também está indo pelo desafio. "Nunca competi nessa metragem de 3km; apesar do bom condicionamento pra nadar em piscina, nadar no rio é bem diferente. E, neste ano, pretendo atravessar o Rio Negro pela primeira vez, então será um bom teste", explica.

3 km
 É a distância da Maratona de Alter do chão. Para Pierre Gadelha, proprietário da Aquática Amazonas, clube de atletas que irão participar da Maratona, as competições motivam os nadadores a continuarem treinando, sem perder o foco.

Publicidade
Publicidade