Publicidade
Esportes
Craque

‘Não é um sonho, é possível’, afirma Sandro Viana sobre vaga nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Em busca da terceira Olimpíada, o amazonense garante que as chances para participar dos Jogos do Rio ano que vem são concretas 21/09/2015 às 15:04
Show 1
Velocista tentará vaga para participar dos Jogos do Rio 2016, aos 38 anos
Lorenna Serrão Manaus

O amazonense Sandro Viana descobriu o atletismo aos 24 anos e apesar de muitos considerarem a idade avançada para a prática da modalidade, ele não demorou a mostrar que havia nascido para correr. Em mais de 10 anos dedicados inteiramente ao esporte, o velocista superou obstáculos dentro e fora das pistas. Hoje, aos 38 anos, ele se prepara para fazer a largada mais importante da sua vida, conquistar uma vaga nos Jogos do Rio e garantir a única, e mais importante medalha que falta em sua coleção, a olímpica. Por isso, Sandro é o personagem deste domingo da série Conexão Rio 2016.

Único atleta do atletismo amazonense a participar de duas Olimpíadas (Pequim-2008 e Londres-2012), Sandro, que é especialista nos 100 m, garante que a vaga para os Jogos no Brasil não é algo distante e lembra que ficou fora dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, este ano, por apenas 0,05 centésimos. E o motivo não foi a falta de sorte ou empenho, mas sim de apoio.

“A vaga nos Jogos do Rio não é um sonho, mas sim algo totalmente possível, as chances são concretas. Por muito pouco fiquei fora do Pan do Canadá e o revezamento brasileiro só conseguiu a prata. Eu estava entrosado com o grupo, mas por conta de 0,05 centésimos eu não alcancei o índice necessário e o Brasil ficou sem o ouro. É como o COB (Comitê Olímpico do Brasil) diz, não há tempo para fazer um novo atleta, temos que contar com os que estão aí, os que têm experiência...”, comentou o velocista, que por 0,02 centésimos também não participou do Troféu Brasil de 2015, principal competição de atletismo do País.

Em 2007, nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, o atleta colocou o Amazonas no lugar mais alto do pódio ao conquistar a sua primeira medalha de ouro mais importante da carreira. Ele foi um dos quatro atletas do revezamento 4x100 brasileiro que garantiu a dourada na pista do Engenhão. E agora, Sandro Viana tem exatamente 11 meses para se preparar para voltar ao local, participar das Olimpíadas no Brasil, ganhar a medalha que todo atleta olímpico sonha em ter e assim completar o ciclo de superações e vitórias.

Atleta de elite, Sandro Viana conquista em média 60 medalhas por ano, em disputas nacionais e internacionais. Este ano, sem apoio do governo estadual e federal, ele teve que pedir para a Federação Amazonense de Atletismo (Fedaeam) pagar algumas das suas inscrições em torneios da modalidade.

“Em mais de dez anos de atletismo, essa foi a primeira vez que eu tive que pedir ajuda da Federação nesse sentido (pagar inscrição). Eu não queria ter que me preocupar com isso a poucos meses das Olimpíadas. De verdade, queria experimentar o esporte de forma plena. Sem ter que racionar suplemento, competições, tratamentos.. Eu deveria fazer fisioterapia toda semana, mas faço apenas uma vez por mês”, desabafou o velocista.

Em quase 15 anos, Sandro sempre esbarrou na falta de apoio, conseguir um patrocínio sempre foi à parte mais complicada dos treinos, mas ele nunca desistiu e não vai desistir agora. “O meu problema nunca foi correr, durante todo esse tempo como atleta olímpico o meu rendimento nunca caiu. Meu único objetivo é conquistar uma medalha de ouro, é pra isso que eu treino, mas a falta de estrutura sempre me impede de chegar ao topo. Nesse momento, eu preciso de apoio financeiro, apoio moral”, completou.

A preparação
Para garantir a vaga para as Olimpíadas, o velocista amazonense, que há um ano treina com o técnico da seleção brasileira de atletismo, Katsuhico Nakaya, pretende usar toda a sua experiência e também os contatos para se preparar em Manaus.

“Por enquanto estou de férias. Vou preparar um calendário e devo voltar aos treinos daqui a alguns dias. Sou um atleta autônomo, faço tudo sozinho. Quero ficar mais em Manaus dessa vez, percebi que o frio me atrapalha, então quero treinar mais no calor. Mas claro, que devo ir a São Paulo receber instruções do técnico Nakaya e também treinar com os outros atletas da seleção, isso é importante”, declarou Viana.

Há oito meses sem receber o bolsa-atleta, Sandro tem contado com o apoio da empresa de material esportivo, Asics, com a fábrica de metal, Amazon Aço e também com o projeto Dentista da Floresta, do doutor Jorge Gonçalves.


Medalhas conquistadas


Campeão Amazonense

Campeão Norte e Nordeste

Campeão Brasileiro Universitário - JUB'S

Campeão Brasileiro - Troféu Brasil

Campeão Sul-Americano

Campeão Ibero-Americano

Campeão Pan-Americano

Campeão mundial Universitário

Os seis melhores atletas do ranking serão chamados para participar dos Jogos do Rio 2016. Na prova dos 100 m individual, na qual Sandro Viana é especialista, não restam mais vagas, mas ele ainda pode competir pelo revezamento de 4x100. Nos 200 m resta uma vaga e nos 400 m, duas. A lista dos convocados deve sair no dia 6 de julho de 2016.

Publicidade
Publicidade