Sábado, 25 de Maio de 2019
Craque

‘Não é um sonho, é possível’, afirma Sandro Viana sobre vaga nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Em busca da terceira Olimpíada, o amazonense garante que as chances para participar dos Jogos do Rio ano que vem são concretas



1.jpg
Velocista tentará vaga para participar dos Jogos do Rio 2016, aos 38 anos
21/09/2015 às 15:04

O amazonense Sandro Viana descobriu o atletismo aos 24 anos e apesar de muitos considerarem a idade avançada para a prática da modalidade, ele não demorou a mostrar que havia nascido para correr. Em mais de 10 anos dedicados inteiramente ao esporte, o velocista superou obstáculos dentro e fora das pistas. Hoje, aos 38 anos, ele se prepara para fazer a largada mais importante da sua vida, conquistar uma vaga nos Jogos do Rio e garantir a única, e mais importante medalha que falta em sua coleção, a olímpica. Por isso, Sandro é o personagem deste domingo da série Conexão Rio 2016.

Único atleta do atletismo amazonense a participar de duas Olimpíadas (Pequim-2008 e Londres-2012), Sandro, que é especialista nos 100 m, garante que a vaga para os Jogos no Brasil não é algo distante e lembra que ficou fora dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, este ano, por apenas 0,05 centésimos. E o motivo não foi a falta de sorte ou empenho, mas sim de apoio.

“A vaga nos Jogos do Rio não é um sonho, mas sim algo totalmente possível, as chances são concretas. Por muito pouco fiquei fora do Pan do Canadá e o revezamento brasileiro só conseguiu a prata. Eu estava entrosado com o grupo, mas por conta de 0,05 centésimos eu não alcancei o índice necessário e o Brasil ficou sem o ouro. É como o COB (Comitê Olímpico do Brasil) diz, não há tempo para fazer um novo atleta, temos que contar com os que estão aí, os que têm experiência...”, comentou o velocista, que por 0,02 centésimos também não participou do Troféu Brasil de 2015, principal competição de atletismo do País.

Em 2007, nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, o atleta colocou o Amazonas no lugar mais alto do pódio ao conquistar a sua primeira medalha de ouro mais importante da carreira. Ele foi um dos quatro atletas do revezamento 4x100 brasileiro que garantiu a dourada na pista do Engenhão. E agora, Sandro Viana tem exatamente 11 meses para se preparar para voltar ao local, participar das Olimpíadas no Brasil, ganhar a medalha que todo atleta olímpico sonha em ter e assim completar o ciclo de superações e vitórias.

Atleta de elite, Sandro Viana conquista em média 60 medalhas por ano, em disputas nacionais e internacionais. Este ano, sem apoio do governo estadual e federal, ele teve que pedir para a Federação Amazonense de Atletismo (Fedaeam) pagar algumas das suas inscrições em torneios da modalidade.

“Em mais de dez anos de atletismo, essa foi a primeira vez que eu tive que pedir ajuda da Federação nesse sentido (pagar inscrição). Eu não queria ter que me preocupar com isso a poucos meses das Olimpíadas. De verdade, queria experimentar o esporte de forma plena. Sem ter que racionar suplemento, competições, tratamentos.. Eu deveria fazer fisioterapia toda semana, mas faço apenas uma vez por mês”, desabafou o velocista.

Em quase 15 anos, Sandro sempre esbarrou na falta de apoio, conseguir um patrocínio sempre foi à parte mais complicada dos treinos, mas ele nunca desistiu e não vai desistir agora. “O meu problema nunca foi correr, durante todo esse tempo como atleta olímpico o meu rendimento nunca caiu. Meu único objetivo é conquistar uma medalha de ouro, é pra isso que eu treino, mas a falta de estrutura sempre me impede de chegar ao topo. Nesse momento, eu preciso de apoio financeiro, apoio moral”, completou.

A preparação
Para garantir a vaga para as Olimpíadas, o velocista amazonense, que há um ano treina com o técnico da seleção brasileira de atletismo, Katsuhico Nakaya, pretende usar toda a sua experiência e também os contatos para se preparar em Manaus.

“Por enquanto estou de férias. Vou preparar um calendário e devo voltar aos treinos daqui a alguns dias. Sou um atleta autônomo, faço tudo sozinho. Quero ficar mais em Manaus dessa vez, percebi que o frio me atrapalha, então quero treinar mais no calor. Mas claro, que devo ir a São Paulo receber instruções do técnico Nakaya e também treinar com os outros atletas da seleção, isso é importante”, declarou Viana.

Há oito meses sem receber o bolsa-atleta, Sandro tem contado com o apoio da empresa de material esportivo, Asics, com a fábrica de metal, Amazon Aço e também com o projeto Dentista da Floresta, do doutor Jorge Gonçalves.


Medalhas conquistadas


Campeão Amazonense

Campeão Norte e Nordeste

Campeão Brasileiro Universitário - JUB'S

Campeão Brasileiro - Troféu Brasil

Campeão Sul-Americano

Campeão Ibero-Americano

Campeão Pan-Americano

Campeão mundial Universitário

Os seis melhores atletas do ranking serão chamados para participar dos Jogos do Rio 2016. Na prova dos 100 m individual, na qual Sandro Viana é especialista, não restam mais vagas, mas ele ainda pode competir pelo revezamento de 4x100. Nos 200 m resta uma vaga e nos 400 m, duas. A lista dos convocados deve sair no dia 6 de julho de 2016.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.