Publicidade
Esportes
Craque

‘Nau à deriva’: torcida ameaça invadir São Januário e jogadores pedem pra sair do Vasco

Torcida vascaína protestou contra má campanha do time na porta da sede do clube na manhã desta terça-feira (9). Marcinho e Douglas Silva pediram pra deixar a equipe e diretoria suspendeu Bernardo por tempo indeterminado 09/06/2015 às 13:32
Show 1
A PM teve de ser chamada para conter a invasão dos torcedores à sede de São Januário.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Clima tenso em São Januário na manhã desta terça-feira (9). Torcedores ameaçaram invadir a sede do Vasco da Gama em protesto pelo péssimo início de Brasileirão. Jogadores acuados pediram pra deixar o clube e foram atendidos pela diretoria cruzmaltina. Os primeiros a abandonar a nau vascaína foram Marcinho e Douglas Silva. Bernardo, que chamou a torcida pra briga, foi suspenso do time.

Parece que respeito foi embora. Pelo menos o respeito da torcida do Vasco pelo time que se sagrou campeão carioca de 2015. Parte da torcida vascaína se reuniu às portas de São Januário e tentou invadir o local enquanto a equipe treinava. A tensão foi grande e a polícia teve de ser acionada para conter os ânimos.

O diretor de futebol do Gigante da Colina, Paulo Angioni, concedeu entrevista pouco tempo depois da confusão e confirmou a rescisão de contrato de dois atletas. O meia-atacante Marcinho e o zagueiro Douglas silva não são atletas do clube. Outro que levou um “gancho” da diretoria foi o atacante Bernardo, que chegou a chamar torcedores pra briga via redes sociais.


Os dois primeiros pediram pra deixar o clube por conta da pressão da torcida. Douglas deve ser emprestado ao Joinville e Marcinho não definiu seu futuro. Bernardo foi suspenso do grupo e não tem previsão para ser reintegrando.

“Douglas entendeu que era o momento de ter outra expectativa, que não estava preenchendo no Vasco. Ele nos procurou solicitando rescisão de contrato. Entendemos e estamos fazendo isso. Há a necessidade técnica do Douglas de atuar com mais frequência. Ele está indo para o Joinville, nos disse isso. Primeiramente, seria uma situação de empréstimo, mas depois, pelas situações de dificuldade do time, entramos em entendimento e fizemos a rescisão de contrato. O caso do Marcinho é diferente. Foi uma questão pessoal. Ele nos procurou dizendo que gostaria de sair, porque as coisas não estavam como ele imaginava”, explicou Angioni.


Angioni também comentou a decisão do afastamento de Bernardo. “Bernardo está fora da viagem de Mangaratiba, e estamos analisando a situação dele. Todas as alternativas estão em possibilidade”, analisou o diretor vascaíno, deixando no ar que o destino do atacante pode ser o mesmo de Marcinho e Douglas Silva: ter seu contrato rescindido. 


Publicidade
Publicidade