Quinta-feira, 14 de Novembro de 2019
Craque

Negativa de Riquelme escancara realidade do Fla

Diretoria do Flamengo recebeu três recusas em menos de uma semana. Zinho mostra conflitos em seus discursos



1.jpg Zinho não conseguiu trazer um jogador de nome para o Fla
20/07/2012 às 11:40

A cada não, um pretexto diferente. E depois da terceira negativa em uma semana o Flamengo conseguiu mais uma justificativa. Agora quem recusou o clube foi Riquelme e, na versão rubro-negra, por questões futebolísticas. O novo motivo apresentado por Zinho em coletiva, metaforicamente, escancara a realidade de um grupo que carece de qualidade.

Constatação que forçou o clube, desesperadamente, a ir atrás de Román. Claro que esse não foi o único motivo que fez com que toda a cúpula de futebol se reunisse na tarde de quarta-feira em caráter de emergência na Gávea.




Aliada a essa fragilidade do elenco, havia a pressão pelo acerto com um camisa 10 tarimbado. Na terça-feira, a discussão sobre o custo/benefício do argentino ainda alimentava dúvidas de quem era contra a chegada do jogador. E Zinho, que queria Diego, era um dos que não defendia a contratação.

No dia seguinte, porém, ele recebeu um telefonema de Fabiano Farah. O empresário, amigo do agente de Riquelme, já tinha conversas com o diretor anterior à negativa do Wolfsburg (ALE) por Diego. Naquele momento, entretanto, Zinho avisou para Farah não avançar por Román.

O telefonema serviu para que o dirigente informasse ao intermediário que o clube estava disposto a pagar cerca de R$ 500 mil mensais por Riquelme. André Galdeano, advogado do Fla, já havia elaborado o contrato para Riquelme assinar.

Riquelme, porém, estava na mira de outros clubes, entre eles o Cruzeiro. Quarta-feira, no fim da manhã, o clube já havia feito um contato diretamente com o empresário de Riquelme, Daniel Bolotnicoff. E a sensação dos mineiros é de que havia um leilão por Román.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.