Publicidade
Esportes
Craque

‘Nem encostei nele’, defende-se Charles sobre expulsão na eliminação do Fast Clube

Atacante levou cartão vermelho após suposta agressão ao zagueiro Gilson, do Princesa do Solimões. Depois da saída do jogador o Tubarão conseguiu chegar a vitória e a classificação para mais uma final de Amazonense 08/06/2015 às 14:28
Show 1
Gilson e Charles se desentenderam e o atacante do Fast acabou sendo expulso da semifinal.
Denir Simplício Manaus (AM)

Fast Clube e Princesa do Solimões fizeram um jogo tenso e cheio de catimba na segunda semifinal na noite deste domingo (7), no estádio da Colina. O Tubarão saiu com a vaga para a decisão do Barezão, mas um lance pode ter sido fundamental para a sequência da partida: a expulsão do atacante Charles Chenko, do Rolo Compressor.

O artilheiro do Barezão, com 13 gols, se envolveu em confusão com o zagueiro Gilson, do Princesa, e acabou levando o segundo amarelo e, consequentemente, foi excluído do duelo. Passada a tensão do jogo e de cabeça mais fria o atacante relembrou o lance. “Foi um lance que sofri uma falta, o juiz não deu... o zagueiro Gilson veio falando alto comigo. Apenas levantei na frente dele e ele simulou uma cabeçada... sendo que nem encostei nele”, comentou Charles.

Momento chave

O lance aconteceu aos 20 minutos da segunda etapa, quando o Princesa se lançava ao ataque e deixava espaços para os contragolpes do Tricolor. Numa jogada em que o camisa 17 do Fast tentou o drible sobre o defensor do Princesa veio o choque a arbitragem nada marcou. Charles afirmou que sua expulsão atrapalhou o Rolo Compressor, mas não foi fundamental para a eliminação da equipe.

“Fundamental não digo, mas que atrapalhou bastante nosso time sim”, disse o atacante, comentando um dos motivos pela derrota. “Isso são coisas do futebol. Não soubemos aproveitar as oportunidades que tivemos de matar o jogo... Se tivéssemos feito o gol no primeiro tempo, tudo seria diferente”, afirmou o jogador.

Ciente de que o Rolo Compressor não fez boa partida, Charles indicou o momento em que o Tricolor perdeu a vaga nas finais do campeonato. “Sabíamos que o princesa iria jogar daquela forma... Eu percebi que não fizemos um bom primeiro tempo, mas voltamos bem no segundo, até minha expulsão. Depois o time desandou em campo”, explicou o artilheiro.

Charles Chenko ainda descreveu o ambiente no vestiário do Fast Clube após a derrota e, consequentemente, a eliminação no Estadual. “Tínhamos um grupo muito unido. Depois no vestiário foi abatimento total... ninguém quis comentar nada”, relembrou o jogador, revelando que a decepção pela derrota é muito grande. “Ainda não caiu a ficha”, finalizou.


Publicidade
Publicidade