REENCONTRO

No Vitória-BA, Marcelinho reencontra técnico Bruno Pivetti: 'Facilita na transição'

Natural de Manacapuru, meia-atacante volta ao futebol brasileiro após nove anos na Bulgária. No Ludogorets, atual treinador do Vitória foi auxiliar de Paulo Autori e trabalhou com Marcelinho em 2018

Leonardo Sena
28/07/2020 às 12:05.
Atualizado em 10/03/2022 às 06:40

(Ludogorets preparou homenagem de despedida a Marcelinho. Foto: Divulgação/Ludogorets)

Anunciado no Vitória-BA para a disputa da Série B do Brasileiro, o meia-atacante Marcelinho chega amanhã a Salvador, capital da Bahia, para realizar exames médicos e assinar contrato até o final da competição nacional. Natural de Manacapuru, interior do Amazonas, o jogador é o quarto reforço anunciado pelo Leão após a pausa em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

No primeiro desafio após nove anos de Ludogorets Razgrad, da Bulgária, Marcelinho vai reencontrar em Salvador um conhecido dos tempos de Europa: Bruno Pivetti, atual técnico do Vitória e ex-auxiliar de Paulo Autuori, que esteve comandando o time búlgaro em 2018. Esse foi um dos fatores que levaram o amazonense a aceitar o desafio baiano.

Pivetti (à dir.) foi responsável pela metodologia de treinamento no Ludogorets de Autuori. Foto: Divulgação/Ludogorets

“Muito feliz pela oportunidade. O nome do Vitória já apareceu logo que cheguei ao Brasil e me agradou demais. Pela camisa, o clube que é. E lá tem um treinador que já conheço (Pivetti), com quem trabalhei na Bulgária. Ele me conhece e isso já facilita na transição de quem vem da Europa. Quarta já estou indo motivadíssimo para treinar”, afirmou o atleta natural de Manacapuru.

Eliminado do Campeonato Baiano e da Copa do Nordeste, o Vitória já se prepara para a Série B, que inicia em 7 de agosto - por conta da pandemia, a competição só vai terminar em 30 de janeiro de 2021, vale lembrar. Após a paralisação, o Leão já anunciou o goleiro César, o lateral Léo e o atacante Matheusinho.

Readaptação

Com 35 anos de idade, Marcelinho retorna ao futebol brasileiro após nove anos de Bulgária. Lá, além do eneacampeonato, conquistou uma Taça e três Supertaças da Bulgária e em 324 jogos marcou 93 gols. O meia-atacante comentou sobre como o físico vai ajudar nessa readaptação ao futebol brasileiro.

“Pretendo trabalhar bem forte na parte física, o que já faço individualmente. Ansioso para chegar no clube, dar o primeiro treino e ter o contato com o grupo. Quero iniciar o trabalho o mais rápido possível para estar à disposição. Sou feliz porque tenho um físico privilegiado, que me ajuda muito. Não tenho problema com peso e quero estar pronto para os jogos que vem pela frente”, completou Marcelinho.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por