Publicidade
Esportes
Craque

Novo técnico do Nacional, Aderbal Lana diz que Sinomar se sentia 'inibido' com sua presença

Lana terá como principal (e difícil) missão de reverter a goleada diante do Paysandu, pelas quartas de final da Copa Verde. Será que ele consegue? 09/03/2015 às 01:53
Show 1
Sinomar Naves e Aderbal Lana vão fazer parte do Nacional
Felipe de Paula Manaus (AM)

O técnico Sinomar Naves não resistiu à goleada (4 a 1) sofrida para o Paysandu, no último sábado, na Curuzu, em Belém, e foi demitido na manhã de domingo (8) pela diretoria do Nacional. No jogo, o primeiros dos dois encontros que decidem vaga na semifinal da Copa Verde, o Leão foi dominado pelo adversário, que não perdoou as falhas na marcação nacionalina e abriu ampla vantagem para o jogo de volta, no dia 22 de março, na Arena da Amazônia.

Quem assume no lugar de Naves é um velho conhecido da torcida nacionalina: Aderbal Lana, que até então estava na função de coordenador técnico do Leão da Vila. O treinador falou com a reportagem e revelou que não tinha pretensão de assumir o posto, mas o faria diante do pedido da diretoria e do desafio imposto pelo momento delicado na Copa Verde.

“Vou assumir. Me chamaram para uma reunião hoje de manhã. Não tinha nenhuma intenção de fazer isso, já tinha até saído do futebol profissional, mas vou assumir”, confirmou Lana, que prometeu dar continuidade a “um projeto muito bom” para o time azulino. “Não vai ficar só na conversa”, cutucou Lana, mostrando que o clima no Naça não era dos melhores no comando técnico do clube.

“O treinador achou que eu estava inibindo ele. Não estava nem vendo treino mais”, revelou Lana, que terá 13 dias até o jogo de volta com o Paysandu. “Peço apoio do torcedor, vamos ver se revertemos essa situação”, disse, por fim.

Naves

Em um ano, Naves foi de herói a vilão no Nacional. Assumiu o time em março de 2014, após a demissõa do então técnico Francisco Diá, na segunda rodada do returno do Campeonato Amazonense. O treinador era celebrado pelo mérito de ter conquistado o difícil Campeonato Paraense três vezes consecutivas por times diferentes (Paysandu-2010/Tucuruí-2012/Cametá-2013).

Na final do Campeonato Amazonense de 2014, o Princesa, que defendia o título de ‘campeão no ano anterior, venceu o primeiro jogo da final por 2 a 0 contra o Nacional. Nos outros 90 minutos do jogo de volta, o Nacional venceu o time do interior por 5 a 1 e garantiu o título, em partida marcada pela lamentável confusão generzalizada no fim do jogo. Na comemoração do título, Naves foi carregado pelos jogadores do Nacional.




Publicidade
Publicidade