Domingo, 21 de Julho de 2019
BAREZÃO 2018

Novo técnico do Penarol fala sobre os desafios da equipe no segundo turno

Comandando pela primeira vez um clube amazonense, Zé Carlos Pereira acredita que o Leão da Velha Serpa tem condições de conquistar o segundo turno do Barezão 2018



show_Ze_carlos_1.jpg Foto: Divulgação
08/03/2018 às 15:23

Anunciado na segunda-feira (5), o técnico do Penarol, Zé Carlos Pereira, corre para fazer alguns ajustes no elenco antes do jogo deste domingo (11) contra o Nacional. Para isso começou  a treinar a equipe no mesmo dia que chegou à Velha Serpa.

O treinador garante que o primeiro contato com os jogadores foi bom e que, apesar de não ter trabalhado com nenhum deles, diz conhecer as qualidades de cada um. “Conheço detalhadamente cada um porque sempre acompanhei de perto. Sempre atuei no Pará e muitos jogadores vinham para o Amazonas, então eu sempre acompanhei e sei das características dos jogadores”, disse o treinador que tem um vasto currículo no Pará, atuando em clubes como São Raimundo-PA, Tuna Luso, Carajás e Sport Belém.

Um dos principais trabalhos desenvolvidos na primeira semana é não deixar o grupo desanimar após perder de forma invicta o título do primeiro turno para o Fast.

“O desafio foi aceito em virtude da qualidade do elenco, e eu tenho a certeza que este grupo vai dar a volta por cima e vamos lutar pela conquista do segundo turno, não deixando de respeitar todos os nossos adversários”, declarou.

Para a conquista do segundo turno, a receita de Zé Carlos Pereira é não repetir os erros que o Penarol cometeu no primeiro turno. “Conversei com os jogadores sobre não cometer os mesmos erros que impediram a conquista do primeiro turno, que foi decidida nos pênaltis e agora é o grupo assimilar o nosso trabalho no dia a dia e temos que trabalhar mostrando que o grupo é forte e tem condições de lutar”, disse.

Mudanças

Trocas na equipe, Zé Carlos disse que não fará muitas, já que o tempo é pouco para modificações profundas. Mas afirmou que elas podem acontecer por fatores como desgaste físico. “A equipe está desgastada fisicamente. Clinicamente eu tenho oito jogadores, que jogam como titulares que estão com desgaste físico, mas eu não posso chegar e trocar a equipe de uma hora para a outra, mas em caso de desgaste ou lesão, eu vou precisar substituir”, explicou o treinador.

Zé Carlos também assegura: as mudanças serão feitas aos poucos e têm a ver com características que ele tem nos times por onde passa.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.