Publicidade
Esportes
Craque

O adeus do Índio Negro: Leonardo é dispensado pela diretoria do Nacional

Atacante recebeu a notícia de que está desligado do elenco nacionalino que disputará a Série D na tarde desta quarta-feira (24). O jogador levantou a taça do Barezão em três oportunidades marcando 35 gols em quatro temporadas no Leão da Vila Municipal 25/06/2015 às 13:56
Show 1
Ídolo da torcida azul, Leonardo foi dispensado pela diretoria do Naça.
Augusto Costa Manaus (AM)

Ídolo da torcida nacionalina, o atacante Leonardo, mais conhecido como Índio Negro, não faz mais parte do elenco do Nacional para disputar a Série D do Campeonato Brasileiro de 2015.  O atacante confirmou nesta quarta-feira (24), por meio das redes sociais, que havia sido dispensado do clube, depois de quatro temporadas defendendo o Naça, onde conquistou três títulos estaduais e marcou 35 gols.

O presidente nacionalino, Mário Cortez, admitiu que o jogador não interessava mais à comissão técnica azulina para disputar o Brasileirão e que na sexta-feira serão anunciados os reforços que chegam para a Série D. 

Segundo Leonardo, o diretor de futebol do Nacional, Cláudio Silva foi quem deu a noticia ontem no Centro de Treinamento Barbosa Filho, que ele estava fora dos planos do clube para disputar o Brasileiro. “É verdade, eu estou de saída. Hoje (ontem) o Cláudio comunicou que eu tinha sido dispensado. Ele não me falou o motivo, apenas que aconteceu uma reunião da diretoria e que decidiram isso. Não sei de quem partiu essa decisão, devo ir embora o mais rápido possível. Claro que a gente fica chateado, criei um vínculo com o clube. Tinha o sonho de ficar e conquistar o acesso para a Série C”, lamentou o Índio Negro.

Presidente ameniza

O presidente do Naça, Mário Cortez, disse que o atacante continua com contrato com o Nacional. “O departamento de futebol não tem interesse no jogador. Mas ele continua sendo funcionário do clube até o final do seu contrato em outubro e se a comissão técnica precisar dele ele pode voltar. No momento ele vai embora porque não adianta ele ficar aqui”, afirmou Cortez.  


Publicidade
Publicidade