Publicidade
Esportes
Craque

'O jogo mais difícil até agora', diz Ney Júnior sobre embate contra Naça Borbense

Jogo está programado para às 17 horas, no estádio Carlos Zamith, no Coroado, Zona Leste de Manaus; jogo é marcado pelo contraste entre a situação dos dois times na tabela 06/03/2015 às 19:53
Show 1
Ney Júnior afirma que equipe do Fast ainda vai evoluir
Felipe de Paula Manaus (AM)

Fast e Nacional Borbense fazem neste domingo (8) o encontro dos opostos, às 17 horas, no estádio Carlos Zamith, Coroado, Zona Leste de Manaus. Os dois times vivem situações diametralmente opostas no campeonato. O Fast vem de duas vitórias contundentes sobre Iranduba (4 a 1) e São Manaus (0 a 3), com grande destaque para a sintonia entre os jogadores os meias Rosenbrick e Michell Parintins.

Mas se o Fast é o melhor ataque da competição com sete gols, o Borbense ainda não conseguiu vencer na competição e amarga duas derrotas: para São Raimundo (2 a 3) e Penarol (1 a 0). Mas os resultados, justificados pelo técnico e dirigente Robson Sá, não afligem o time que, segundo ele, ainda pode surpreender no Barezão versão 2015.

“O time não está desesperado com duas derrotas, a gente sabe que pode chegar muito longe”, diz o treinador, que acredita que o time tem um bom posicionamento defensivo e deve se proteger bem das investidas sabidamente perigosas do ataque fastiano. “No jogo contra o São Raimundo, por exemplo, pegamos gol de bola parada. Eles não conseguiam entrar em nosso sistema defensivo”.

O treinador do Camaleão não camufla suas intenções e diz que vai tentar sua primeira vitória na competição com consciência da forte equipe que encontrará pela frente, mantendo-se atrás quando necessário e saindo em velocidade quando possível. “Vamos jogar esperand pra surpreender nos contra ataques, porque é fora de casa...”, revelou o comandante do Naça de Borba.

Já Ney Júnior, técnico dos Fast, não se empolga com os resultados positivos da equipe até aqui e ainda faz questão de dizer que o desafio diante do Borbense é “o mais difícil até aqui”. “Tanto pela qualidade, tanto porque nós estamos vindo de de duas vitórias, e as equipes adversárias começam a vir mais retracandas.

“As equipes ainda não se conhecem, mas vi o time deles jogando, o time tem qualidade”, falou o treinador, costuma fazer bem o dever de casa ao acompanhar in loco, nos estádios os jogos das outras equipes do campeonato estadual.

Usando tradicional discurso que precede uma partida de futebol, Ney Júnior disse que irá respeitar o adversário, mas que seu time deve entrar focado e mais entrosado ainda. “Isso é todo time (que vai estar mais entrosado)”, minimiza, logo depois. “Ninguém ganhou nada ainda. Pra ganhar ainda falta muita coisa”, reconhece-se o técnico do Fast.

Desfalques

Ao contrário de Ronson Sá, Ney Júnior preferiu fazer mistério quanto à escalação de sua equipe para o jogo de hoje. Contudo, apuramos que o Rolo Compressor não deve contar com a presença do volante Roberto Dinamite e do lateral-esquerdo Rodrigo Ítalo. “Melhor ainda”, reagiu o técnico do Naça Borbense, ao saber da notícia pela reportagem.

Pelo lado do Camaleão, havia a expectativa do retorno do volante Luiz Gustavo, mas o jogador ainda não poderá estrear no campeonato devido a problemas musculares.

Escalações prováveis

FAST: Zé Carlos; Amaral, Ediglê, Márcio Abrahão e Jammeson; Rondinelli, Souza, Rosembrick e Michel Parintis; Charles e Deivid. Técnico: Ney Júnior

NACIONAL BORBENSE: Douglas; Huan Silva, Manuel Júnior, Araújo, Guilherme; Alberone, Éverton, Cristiano Natal e Márcio Ribeiro; Daniel Alemão e Jefferson


Publicidade
Publicidade