Publicidade
Esportes
Dinamite Manauara

O nosso Dinamite

Peço Naça, homônimo do famoso goleador vai viver momento especial contra o time do pai: o Vasco 18/08/2013 às 16:42
Show 1
Dinamite e seu pai, Ocival Prado, que deu ao filho, em forma de homenagem, as iniciais do famoso ex-jogador; na terça, será dia de emoção para ambos
Augusto Costa Manaus

Na próxima terça-feira, dia 20, no momento em que o Nacional entrar em campo para enfrentar o Vasco da Gama, no estádio Roberto Simonsen, pela Copa do Brasil, um jogador em especial, o amazonense Carlos Roberto Santos da Silva, 27, mais conhecido como Roberto Dinamite, camisa 7 do Naça, vai viver um momento inusitado: a emoção de enfrentar o time do coração do pai e honrar o nome do maior ídolo do clube carioca, o ex-jogador e atual presidente vascaino Roberto Dinamite.

O nome de craque foi uma imposição do pai, Ocival Prado, 55 anos, que desde a adolescência tinha um sonho: homenagear o grande ídolo do seu time do coração, Roberto Dinamite, no primeiro filho que seria jogador profissional. “Graças a Deus fui abençoado com este nome e o apelido de um dos maiores ídolos da história do Vasco é o meu clube do coração e do meu pai. O Nacional montou um time forte no ano do centenário e atualmente somos a grande zebra da Copa do Brasil porque estamos desbancando equipes da Série A e o foco da mídia está voltado para o nosso Estado por sermos a única equipe do Norte na competição. Chegar na quarta fase da competição para enfrentar o Vasco é a realização de um sonho”, disse Dinamite.

Questionado sobre se o coração vai ficar dividido no momento de enfrentar o clube do coração do pai, e se vai comemorar se marcar um gol, Dinamite foi enfático. “O Nacional vai viver um momento histórico se quebrar o tabu e vencer o Vasco. Lá em casa o torcedor fanático é o meu pai, seu Ocival. Cresci ouvindo histórias sobre o Vasco e acompanhando pelo rádio as narrações dos gols do Roberto Dinamite. Hoje ninguém me chama de Carlos, somente de Dinamite desde os quatro anos de idade. Mas apesar da simpatia, defendo o Nacional com orgulho e respeito e vou entrar em campo focado contra o Vasco porque sei a importância deste jogo para o futebol amazonense”, afirmou Roberto Dinamite.

Realização no filho

Com o sonho de ser jogador profissional, Ocival Prado, disse que queria que o filho nascesse no dia 13 abril, mesmo dia do craque carioca, mas o Dinamite amazonense veio ao mundo em 4 de abril. “Foi um sonho conhecer o Roberto Dinamite. Prometi que teria um filho com este nome em homenagem ao meu ídolo”, disse seu Ocival.

Publicidade
Publicidade