Publicidade
Esportes
Craque

O paizão: no Dia dos Pais, mestre Márcio Pontes fala sobre a felicidade em ter tantos ‘filhos’

Professor que revelou entre outros o maior campeão peso por peso do UFC, José Aldo, e o mais novo contratado do Ultimate, Dileno Lopes, fala sobre a dura, mas feliz missão de ajudar na criação de seus alunos na academia MPBJJ 07/08/2015 às 13:08
Show 1
Professor Márcio Pontes é tratado como paizão por seus alunos. Carinho e respeito ao grande mestre.
Denir Simplício Manaus (AM)

Todos já devemos ter ouvido o seguinte: o  verdadeiro pai não é o que gera, mas especialmente aquele que aceita o filho como seu. E ser pai por amor, é ser pai duas vezes... é a felicidade do filho, de presente, ganhar.

Pois bem,  o professor Márcio Pontes - mestre da academia MPBJJ, no bairro Alvorada, berço de feras do MMA do quilate de José Aldo e Dileno Lopes -, é conhecido por seus alunos por ter todos esses atributos, de ser o “Paizão” de todos, de ser querido e respeitado por ter aceitado  outros tantos “filhos”.

De vencedor de tucumã na infância a ponta-esquerda do América e Nacional na juventude, Márcio Pontes apanhou muito da vida até se tornar o mestre reconhecido internacionalmente. Pai de sangue da pequena Melissa, de cinco anos, e de Marcelo, de 17, Pontes  conta um pouco de sua trajetória.


“Trabalhei no Centro vendendo tucumã. Ali você acaba aprendendo com a  vida. Meu pai se separou da minha mão muito cedo. Eu tinha dez anos e fui criado pela minha mãe. Então eu procuro sempre trabalhar pra o garoto que chegasse comigo, ele voltasse satisfeito com as coisas que eu passava, que eu falava, que eu pregasse”, relembra Pontes.  

Atenção aos filhos

São 17 anos de MPBJJ, mais de 150 alunos na academia, que são tratados como filhos por Márcio Pontes. O que forma uma enorme família. Mas em  família também existem problemas e o mestre já passou por algumas decepções, salvou casamentos, foi psicólogo e tirou muitos garotos das drogas, assim como perdeu alguns  filhos/alunos para o tráfico.

“Tive vários problemas. Teve pai que veio me chamar pra conversar com o filho. Já salvei casamentos, servi como psicólogo para alunos que brigaram com a namorada. Já dei bronca pra não se meter em coisa errada. Às vezes a gente faz o que os pais não conseguem fazer em casa. Uma vez tive de conversar com um aluno que estava muito drogado. Consegui tirar ele daquele mundo. Mas também já perdi muito atleta bom pro tráfico. Isso me deixou muito triste”, revelou o professor.

Mais que uma academia, a MPBJJ também serve como lar para sete atletas vindos de várias partes  do Estado, que dormem no tatame em busca do sonho de se tornar um campeão de MMA. “Alguns garotos chegam aqui só com a roupa do corpo e pedem pra treinar e morar na academia. Eu acolho,  aviso   que o que posso fazer é dar o tatame pra dormir. Mas cobro empenho, disciplina, sou rígido... mas também brinco, tiro onda e incentivo muito”, comentou.

Pontes é um pai alegre e satisfeito com os filhos que acolheu, mas dois em especial lhe enchem o coração de felicidade. “Tenho dois filhos lindos e maravilhosos. Meu filho está comigo todos os dias na academia e acredito que um dia vai ser um grande treinador. Tenho uma filha que é linda, que me dá o carinho quando eu chego em casa, então eu só posso agradecer”, finalizou, emocionado o mestre.   

Filhos mais famosos

Além dos mais de 150 filhos/alunos que o professor Márcio Pontes, atualmente, ajudar a “criar” na academia MPBJJ, outros tantos já alçaram voos nesses quase 20 anos.

Alguns saíram da academia e migraram para outros estados, outros casaram, formaram família, enfim, seguiram caminhos diferentes deixando saudade e levando consigo ensinamentos do mestre. De tantos, dois em especial ganharam notoriedade mundial: Júnior e Lopes. É assim que José Aldo, campeão dos penas do UFC e Dileno Lopes, mais novo integrante do Ultimate são conhecidos pelo paizão Márcio Pontes.


“O Júnior chegou aqui com 13 anos. Acho que todos conhecem a história. Pediu pra treinar, mas não tinha quimono, eu dei um quimono... uma calça velha, rasgada pra treinar, pois era  que tinha. Não cobrei nada, apenas pedi pra se empenhar e hoje ele é o ídolo que todos conhecemos”, relembra Pontes, revelando que Aldo foi um dos primeiros filhos. “O Júnior foi da primeira geração de alunos. Quando nós estávamos montando um equipe pra disputar mesmo”, disse.

Apesar de já ter quase a mesma idade que Aldo,  Dileno é considerado por Pontes, como  o filho da segunda geração. O próprio Dileno fala sobre o paizão. “Ele me trata como se fosse um filho de sangue. É um grande professor, incentivador tenho orgulho de fazer parte da vida dele”, disse Dileno, exaltando o mestre.

“Por ele, ele ajudaria todo mundo. procura conversar com a gente. Pois essa vida lutador não é fácil. Está sempre dando o máximo pela gente. Já me deu puxão de orelha quando mereci”, brinca o lutador que é treinado por Pontes e acaba de assinar contrato com o UFC.  


Publicidade
Publicidade