Domingo, 05 de Julho de 2020
Boxe Baré

Rubem 'Da Fé' defende título Norte/Nordeste de boxe no próximo domingo (16)

Amazonense Rubem ‘Da Fé’ é o primeiro pugilista baré a conquistar o título de campeão Norte/Nordeste de boxe profissional e agora busca defender posto



WhatsApp_Image_2020-02-07_at_22.32.51_E28BC996-FFD3-4037-906A-0CA3D3EC9CEA.jpeg Foto: Sandro Pereira
09/02/2020 às 08:27

O Amazonas é o estado brasileiro de maior extensão territorial, ao total são 1.559.146 km². Um número gigantesco e assustador. São aproximadamente 4,1 milhões de habitantes, o que representa 2% da população brasileira. Agora, diante de toda essa magnitude, imagine que apenas um homem foi capaz de conquistar com os próprios punhos, o título de campeão Norte/Nordeste de boxe profissional. O nome da ‘fera’ é Rubem de Souza, conhecido no mundo da  ‘nobre arte’ como Rubem ‘Da Fé’.

No próximo domingo (16), o pugilista natural de Careiro Castanho viaja até a Bahia para calçar novamente suas luvas e  defender seu título inédito em evento organizado pela Associação Nacional e Internacional de Boxe (ANIB).



“Sei que a Bahia é a nata do boxe, mas sou do Norte e vou provar a nossa força. Vou enfrentar o Dan Guerreiro, que é filho de um dos grandes campeões sul-americanos e pan-americanos do boxe profissional. Porém, isso não me intimida, só motiva mais”, destacou o pugilista da divisão meio-médio ligeiro (até 66kg).

Paixão familiar

O boxe está no sangue de Rubem. Não somente essa modalidade, como outras foram apresentadas ao lutador por seu pai, Raimundo Nonato.

“Sou o que sou devido ao meu pai. Iniciei no kung fu aos quatro anos de idade, ele já praticava o esporte na época, e até hoje ele continua sendo meu técnico. Na minha infância participei de vários torneios de kung fu também, fui multicampeão nessa modalidade e aos 15 anos entrei de vez no boxe profissional”, relembrou  Rubem, sobre sua relação com o pai e  as artes marciais.

‘Luta’ fora dos ringues

Apesar de hoje dedicar-se exclusivamente ao boxe, durante toda a vida, Rubem Da Fé também lutou outras modalidades nas quais ele acreditava que poderia receber retorno financeiro suficiente para ajudar a família.

“Lutei bastante MMA, mas na região é um trabalho muito cansativo. Além de lutar, você tem que ficar na porta de evento vendendo ingresso. Não existe valorização aos atletas daqui”, declarou, a respeito do período em que tentou a ‘vida’ sustentada pelo MMA.

De acordo com o pugilista, a ‘peleja’ no mundo do boxe também é grande, porém mais recompensadora para os atletas. “Tenho uma família que precisa de mim, entrei no boxe profissional visando a grande rentabilidade dos eventos. Uma bolsa de campeão mundial chega a milhões de dólares”, apontou o  boxeador, que  pretende ‘nocautear’ de vez as dificuldades financeiras passadas pelos familiares.

Em 2018, ele largou as atividades como segurança patrimonial para dar atenção total à carreira nos ringues. Sua ‘aposta’ já está dando certo. “Após minha defesa no Norte/Nordeste, serei o primeiro pugilista profissional amazonense a assinar um contrato para morar e lutar em Nova York. Estarei representando o estado tanto em eventos nos Estados Unidos como em outros países, por meados de junho devo estar lá”, revelou o amazonense.

News whatsapp image 2019 06 21 at 16.12.51 7cbfadd4 8d2b 47cf a09e 336b83276e71
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.