Publicidade
Esportes
Craque

Ordem no Nacional é fazer mistério para o jogo contra o Paysandu

Sinomar Naves, que já treinou o Papão em cinco ocasiões, fez mistério antes do jogo de ida válido pela Copa Verde  06/03/2015 às 10:56
Show 1
Sinomar Naves já teve cinco passagens pelo Papão
Anderson Silva ---

O Nacional procurou de todas as formas não “entregar” o ouro ao bandido, no caso, às pistas de como vai jogar no estádio da Curuzu, no duelo contra o Paysandu, pelo jogo de ida da Copa Verde, amanhã, às 17h30 (de Manaus), em Belém.

A necessidade de treinar com os portões fechados, no treino a pronto realizado no CT Barbosa Filho, na tarde de ontem, partiu do treinador Sinomar Naves, que é o nacionalino mais conhecedor do futebol paraense.

O comandante, campeão amazonense do ano passado com o Leão, já treinou o adversário de amanhã.

“Tive a oportunidade de dirigir o Paysandu cinco vezes. Minha primeira oportunidade foi em 2004 e depois 2005, fui campeão paraense e dirigi o time na Série A e B. Já dirigi o Remo por duas vezes e outras equipes do Pará. Mas o Paysandu foi o clube em que mais trabalhei”, anunciou o treinador analisando as dificuldades do confronto.  “Jogar com o Paysandu em  qualquer lugar que seja é muito difícil, pela tradição e pela força, e temos que tomar cuidado. Cautela é necessária, mas nossa equipe está preparada,  seja para jogar na Curuzu ou no 

Mangueirão, e a gente espera que possa ter uma reação bastante possível, e a pressão da torcida seja a menos possível e faça pouco efeito”, disse. 

Experiente
O artilheiro do Estadual pelo Nacional com três gols, o atacante Wanderley já disputou jogos contra o Papão dentro da Curuzu.  A experiência contra o adversário, que sempre conta com a pressão da torcida, vai colaborar para a equipe. 

“Já joguei na Curuzu, é difícil de jogar lá, complicado... Tive a oportunidade de jogar duas três vezes lá, a gente tem que ter cautela, e ser maduro suficiente pra aguentar a pressão. Sabemos que não é fácil jogar no campo em que a torcida fica tão próxima, mas o time da gente é experiente”, destacou o atacante.

Ídolo dos torcedores nacionalinos, o atacante Leonardo também conhece bem “as pedras” que existem no caminho da disputa com o representante paraense.

“Enfrentei eles em dois amistosos, em 2012 na Curuzu perdemos por 1 a 0 e o outro em Paragominas vencemos por 3 a 2. Vai ser um jogo difícil e sabemos que temos que ter inteligência e sabedoria”, disse o admirado Índio Negro, que é único remanescente daquela época. 

Curiosidade 
No último jogo entre as equipes em 2012, o Nacional venceu de virada por 3 a 2, no Estádio Arena Verde, em Paragominas (PA), a 300 quilômetros de Belém.

O amistoso de pré-temporada serviu para o Nacional se preparar para as finais do Estadual. No Paysandu, a derrota marcou a estreia do técnico Roberval Davino. Amanhã, contra o Nacional, o técnico Dado Cavalcanti  estreia pelo Papão...


Publicidade
Publicidade