Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
TORCIDA EM DOBRO

Pai e filho disputam as finais do Peladão neste final de semana na Arena

A família Lopes terá motivos em dobro para torcer: o pai, Neto, jogará a final do Máster; já o filho, Pedro Lopes, disputa a final do Principal



Pai_e_filho_final_CD82A2CD-64B0-4C89-8C98-FED9975EC374.jpeg Fotos: Divulgação
14/02/2019 às 21:25

Um sonho que a maioria dos pais tem é ter um filho para jogar futebol, um futuro craque que vai aprender a tocar na bola tão bem quanto o pai.  Nesta final de Peladão, que está prestes a se realizar na Arena da Amazônia, conhecemos a história de pai e filho, Neto e Pedro Lopes, que não só são peladeiros de coração, mas irão compartilhar a alegria de disputar a decisão deste Peladão – o pai na categoria Máster, e o filho, na categoria principal.
 
Neto é jogador dos Amigos da Cidade Nova Máster, Pedro integra o Unidos do Alvorada, os dois são volantes, estarão representando seus times na grande final do Peladão, e falam dessa paixão em comum entre pai e filho - o futebol.

“Meu pai sempre me incentivou a jogar profissionalmente, mas joguei por dois anos. As dificuldades de jogar e não receber fizeram minha caminhada ser diferente. Hoje estou feliz no futebol amador e estou realizando esse sonho ao lado do meu pai, jogar a final do maior campeonato de peladas do mundo, fato que eu acredito ser inédito”, resume Pedro. “Jogar na Arena é o sonho de todo boleiro, e melhor será se eu e o filhão formos campeões”, ressalta o pai de Pedro, Neto. 

Neto conta que joga Peladão desde 1992 pelo time Bacurau, na categoria Principal, mas, este ano, pelo Cidade Nova Máster, vive sua primeira final. Ainda assim, ele garante que sua ansiedade é pelo jogo do filho.

“Estou tranquilo pelo nosso time, estou mais ansioso pelo Pedro. Para ele é mais importante, mas o coração fica na expectativa. Essa final é um sonho em dose dupla”, explica o paizão.

Assim como o pai demonstra a preocupação com o jogo decisivo do filho, Pedro garante que estará vidrado na partida do pai. “Vou acompanhar todas as categorias com minha família, ficar na torcida primeiro pelo meu pai, e depois vou correr atrás do meu e, se Deus quiser, vamos comemorar os títulos juntos”, anuncia.

Também, não é qualquer campeonato, explica Pedro. “Como os jogadores amadores falam, Peladão é nossa Copa do Mundo, a emoção é grande, recebo muito conselho dele (do pai) e ele de mim. Sempre o acompanhei nos jogos quando era pequeno, hoje é vice e versa, e estamos sempre juntos”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.