Publicidade
Esportes
Futuro brilhante

Paratleta do Amazonas brilha na 3ª Etapa Nacional de Badminton, em Recife

A estudante Mikaela Almeida da Costa conquistou três medalhas - sendo uma de ouro e duas de bronze - na 3ª Etapa Nacional de Parabadminton, disputada no último final de semana, em Recife 20/09/2016 às 05:00
Show mikaela da costaaaaa
Mikaela deu show na competição disputada no Nordeste do Brasil e alcançou o 2º lugar no ranking nacional da modalidade (Foto: Divulgação)
ACritica.com Manaus (AM)

Surge uma joia do paratletismo amazonense. No último final de semana, a atleta Mikaela da Costa Almeida, 13, conquistou nada mais nada menos que três medalhas - sendo duas de bronze e uma de ouro - na 3ª etapa Nacional de Parabadminton, em Recife. O pódio dourado veio na categoria simples e os terceiros lugares vieram nas duplas mistas e feminina.

Estreante em competições nacionais, Mikaela nasceu com uma má formação congênita e não possui parte do barço direito. O que não impediu a jovem badmintonista a se destacar no campeonato disputado no Nordeste. Praticante da modalidade a pouco mais de um ano, a estudante do 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Estadual Cacilda Braule Pinto, no bairro Coroado, na Zona Leste de Manaus, é treinada pelo professor Fernando Taffarel. O técnico da paratleta revelou que a Mikaela tem evoluído bastante e chega a vencer jogos até contra atletas convencionais. 

“A Mikaela vem se destacando bastante no badminton. Inclusive, ela chega até a vencer alguns jogos contra atletas sem deficiência. No torneio de Recife, ela venceu três partidas para levar o ouro e contra atletas de outras categorias que não a dela”, pontuou o treinador, lembrando que a amazonense deveria enfrentar adversárias na categoria SU5, que é destinada a paratletas com deficiência nos membros superiores. Além das conquistas na 3ª Etapa Nacional de Parabadminton, Mikaela Almeida ainda alcançou o segundo lugar no ranking brasileiro da modalidade esportiva.

Feliz com as medalhas, Mikaela comentou que não esperava o sucesso obtido em sua estreia. “Nunca pensei que participaria de uma competição dessas algum dia e que conseguiria um resultado tão positivo. Descobri o esporte há apenas um ano, através da minha escola e desde então comecei a me dedicar, treinar três vezes por semana e com esse resultado, vejo que meu esforço foi reconhecido”, afirmou a paratleta, que até o momento, só havia participado de competições entre escolas de Manaus.

Orgulho Paratleta

Segundo Mikaela Almeida, o esporte tem sido muito importante na sua vida, algo que tem  ajudado a crescer como pessoa. Para ela, participar de uma competição desse nível é um motivo de orgulho, por ser sinônimo de superação.

“Eu não conhecia o esporte, mas já posso dizer que ele tem mudado a minha vida, me ajudado a crescer. Participando da competição, pude ver o quanto existem paratletas, que conseguiram superar suas limitações, apesar de serem considerados diferentes pela sociedade. Tenho orgulho de ser mais uma paratleta que descobriu que o esporte ainda pode me levar muito longe”, contou a estudante.


.

Publicidade
Publicidade