Segunda-feira, 17 de Junho de 2019
Craque

‘Parecia a Alemanha’. Fast Clube ‘massacra’ Operário e está a uma vitória das semifinais

O Tricolor goleou o Sapão por 7 a 0 com direito a dois gols de Charles Chenko que assumiu a artilharia ao lado de Edinho. O Rolo Compressor só precisa bater o São Raimundo na próxima rodada para se garantir na fase seguinte do torneio



1.jpg Rolo Compressor "atropela" o Sapão e está a um passo da próxima fase do Barezão.
07/05/2015 às 02:00

Nem o campo pesado, por causa da chuva, ou a lesão do “Pajé” Michell Parintins no início da partida impediram o Fast Clube de golear o Operário na tarde desta quarta-feira (6), no Campo da Ulbra, na Zona Centro-Sul de Manaus. Ao final da partida o placar apontava 7 a 0 para o Rolo Compressor que “atropelou” impiedosamente o “pobre Sapo”. Com o triunfo dentro de casa o Tricolor está a uma vitória das semifinais do Amazonense.

Atravessando uma crise que parece não ter mais fim, o Operário de Manacapuru (distante 68 quilômetros da capital) chegou ao local do jogo com 15 minutos de atraso por causa de uma pane no ônibus que transportava a delegação operariana. Iniciada a partida os jogadores do Sapão da Terra Preta pareciam ainda estar viajando, tamanha a falta de interesse na partida.

Com menos de um minuto de jogo o atacante Charles, do Fast, recebeu passe de peito do zagueiro Márcio Abrahão e chutou pra fora. Aos 3 minutos o atacante Eliélton Embuá substituiu o meia Michell Parintins, que deixou o gramado da Ulbra com uma lesão na panturrilha direita. Se o Rolo Compressor já apertava o Sapo de Manacapuru com Charles e Romarinho, o sufoco aumentou com a entrada do veloz jogador.

Início do “massacre”

Embuá cansou de perder gols e em um dos lances o atacante chegou a entrar no gol de Victor, mas a bola não. Romarinho, que atuava como um verdadeiro ponta-esquerda lançou na área, o goleiro do Operário desviou e a bola sobrou para Da Silva, aos 16 minutos, abrir os trabalhos para o Fast: 1 a 0.


O primeiro e único chute do Operário no primeiro tempo aconteceu aos 22 minutos pelos pés de Djalma, que passou longe do gol de Zé Carlos. Dois minutos depois, Embuá voltou a perder um gol, dessa vez acertando a trave do Operário. Em ritmo de treino, o Tricolor pressionava o Sapão da Terra Preta até que aos 45 minutos de jogo Embuá fez boa jogada e rolou para Romarinho, que de perna esquerda fuzilou o gol de Victor: 2 a 0 e final de primeira etapa.

“Rolo Germânico”

O jovem atacante Elivelton Embuá retornou para o segundo tempo da mesma forma como terminou o primeiro: perdendo gols. Dessa vez o camisa 14 do Fast chutou nas mãos de Victor. Por outro lado, Romarinho continuava aproveitando os espaços deixados pela displicente defesa do Operário. Aos 6 minutos, o camisa 11 do Tricolor recebeu passe de Rodrigo Ítalo, invadiu a área, e chutou na saída do goleiro do Sapão: 3 a 0.

O gol gerou reclamação por parte do técnico do Operário Neneca, que acabou expulso pelo árbitro da partida. Como se não bastasse perder o comando à beira do campo o Sapão continuou a “apanhar”: Kremer, aos 18 minutos, recebeu passe de Roberto Dinamite, passou por Victor e fez 4 a 0 para o Fast Clube.

A sina de má sorte de Embuá continuava, aos 21, o atacante chegou a balançar as redes do Operário, mas a arbitragem invalidou o gol. Se o camisa 14 do Tricolor não fazia, foi a vez de Charles Chenko entrar em ação. Aos 24 minutos, o artilheiro fastiano, que começou a partida com oito gols no campeonato, cobrou pênalti sofrido por Kremer e chegou ao nono tento no Barezão: 5 a 0.

Aos 33 minutos, o mesmo Charles recebeu bom passe pela de Kremer pela esquerda, penetrou a área de Victor e fuzilou: 6 a 0 Tricolor. Foi o décimo gol de Charles “Atropelador” Chenko no Campeonato Amazonense. E, finalmente, aos 35 minutos, a nuvem de má sorte que pairava sobre a cabeça do atacante Eliélton Embuá resolveu ar um tempo e jogador fechou a goleada depois de cruzamento de Kremer: 7 a 0 Fast Clube.

A um passo das semis

Com o massacre sobre o Operário, o Fast Clube chegou aos 28 pontos, com o saldo positivo de 27 gols. Caso vença o confronto direto com o São Raimundo, - 5º colocado no campeonato - no próximo sábado (9), às 16h, na Colina, pela 15ª rodada do torneio, o Rolo Compressor praticamente garante a classificação para as semifinais do Barezão 2015.

Com um possível triunfo sobre o Mundico, o Tricolor pode chegar aos 31 pontos e colocaria 9 pontos de vantagem em cima do 5º colocado. Restando apenas mais três rodadas para o término da primeira fase, o São Raimundo teria de vencer todos os jogos e ainda tirar uma diferença de mais de 30 gols para superar o Fast, além de torcer para que o Rolo Compressor perca todos os jogos restantes.

Para o jogo decisivo contra o Tufão da Colina, o técnico João Carlos Cavalo conta com a volta do zagueiro Ediglê, suspenso, mas pode perder o meia Michell Parintins, lesionado. O próximo jogo do Operário é contra o Rio Negro, no sábado, às 15h30, no estádio Valdizão, em Manaquiri.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.