Publicidade
Esportes
CLÁSSICO

Passado e presente de Lana: Rio Negro enfrenta São Raimundo no Barezão

Confronto entre as duas equipes é válido pela primeira rodada do Campeonato Amazonense 2017 18/03/2017 às 05:00
Show  asl7367
As equipe se enfrentaram no Torneio Início, onde o Rio Negro levou a melhor nos pênaltis. (Foto: Antônio Lima)
Valter Cardoso Manaus-AM

A busca pelo título de campeão amazonense começa  hoje para mais dois times do Estado: Rio Negro e São Raimundo. Os dois se enfrentam neste sábado (18) no estádio Ismael Benigno, a Colina, às 15h, medindo forças. Força esta que já tem Aderbal Lana como denominador comum.

Se neste ano o Rio Negro busca retomar os tempos de glória, o treinador já foi capaz de fazer um trabalho semelhante do outro lado.  No final dos anos 90, Lana foi herói no Tufão da Colina ao ser o líder da revolução que garantiu três títulos do Campeonato Amazonense além do tricampeonato da Copa Norte e o acesso à Série B. Mas o caminho, segundo Lana, é diferente do que conseguiu fazer há anos. “É sempre bom você começar ganhando. No São Raimundo foi completamente diferente, tinha uns vinte torcedores lá, era um time que ninguém esperava nada dele então você podia ganhar ou perder que para eles tava a mesma coisa. Então você teve tranquilidade para trabalhar. Hoje nosso futebol exige bastante porque nós somos hoje a quinta maior cidade deste País, a gente precisava de uma equipe num patamar melhor a nível de futebol brasileiro. Como não tem, a cobrança é maior”, analisou Aderbal Lana. 

Sentimento especial ao enfrentar o Tufão? “Não. São Raimundo é passado na minha vida. Não tenho mágoa nenhuma no São Raimundo. Tudo que eu fiz lá eu fui pago para fazer, eu fui um profissional que trabalhou lá dentro. Só fico triste que uma equipe que chegou perto da elite do futebol brasileiro tenha acabado por maus diretores que usaram o São Raimundo e hoje deixa ele jogado às traças”, disparou. 

Mas nem mesmo a recente fase obscura do Tufão tranquiliza Aderbal na hora de ter o time como adversário. Para o Barezão 2017, o São Raimundo buscou em Fonte Boa, no interior do Amazonas, uma seleção de jogadores para serem a espinha dorsal da equipe. Apesar da desconfiança da torcida, o treinador do Rio Negro evita falar em favoritismo. E o passado no lado alvi-celeste reaparece, como alerta.  “Isso é para torcedor, que fica sentado em casa, na rede social, no computador, fica jogando coisas na rede, porque o São Raimundo começou muito pior do que está começando agora, na minha época. Hoje lá você tem bola, tem material, tem uma seleção de uma equipe que vem do interior, que tem que ser respeitada. Quando nós começamos, nós estávamos fazendo peneira aqui em Manaus. Hoje o São Raimundo está recebendo crítica em um trabalho que ele está fazendo certo. Se ele não tem dinheiro para contratar, se ele passar por uma situação ruim, ele está buscando gente no interior que pode vim aqui e também se tornar um grande clube”, finalizou Aderbal Lana. 

 

Publicidade
Publicidade