Publicidade
Esportes
FUTEBOL

Pela Copa do Brasil, Nacional recebe Ponte Preta tentando repetir 2013

Em crise, Leão da Vila Municipal encara a Macaca na Arena da Amazônia em busca de uma vitória para avançar a próxima fase da competição assim como fez há cinco anos 06/02/2018 às 15:41 - Atualizado em 06/02/2018 às 16:07
Show na a
Naça tenta superação pra passar pela Ponte (Foto: Ennas Barreto/NacionalFC)
Denir Simplíco Manaus (AM)

Nacional e Ponte Preta estreiam nesta terça-feira , às 17h15, na Arena da Amazônia, na Copa do Brasil fazendo uma reedição do confronto de cinco atrás. Em 2013, Leão da Vila Municipal despachou a Macaca com duas vitórias e, de forma inédita, chegou às oitavas de final da competição - até hoje a melhor colocação de um clube amazonense no torneio.

Os tempos são outros e a fórmula de disputa da Copa do Brasil também. Desta vez não é mata-mata e o Naça é obrigado a vencer o time de Campinas se quiser avançar para a fase seguinte do torneio mais rentável do futebol brasileiro. 

Sem mágica

Ainda sem vencer na temporada, o Nacional promove a reestreia do técnico Arthur Bernardes, que assumiu o time no domingo (4), logo após a saída de Sinomar Naves. O novo comandante do Leão fez apenas dois treinos e enfatizou que é humanamente impossível fazer o Nacional atuar como o time de Lionel Messi.

“Qualquer pessoa racional sabe que é impossível você chegar aqui, estalar os dedos e fazer o Nacional jogar igual ao Barcelona. A verdade a gente vai fazer um time bem agrupado e jogando o mais rápido possível, porque nós vamos explorar muito a velocidade, que é o nosso ponto forte hoje, ofensivamente”, disse Bernardes pontuando os cuidados que o Naça deve ter com a Macaca e o que sua equipe deve fazer pra sair da Arena com a classificação.

“Nossa ideia é essa: jogar agrupado, evitar faltas perto da área porque a bola parada da Ponte é muito boa. Eles têm jogadores de boa impulsão, de boa estatura e isso é um ponto importante que temos de estar observando. E aguardar uma chance de finalizar bem e vencer a partida”, concluiu Bernardes.

Boas lembranças

Remanescente do time do Nacional que eliminou a Ponte na Copa do Brasil de 2013, o lateral-esquerdo Rodrigo Ítalo relembra do feito histórico do Naça, na noite de 24 de julho daquele ano, nos estádio do Sesi.

“A principal lembrança é a alegria do torcedor no Sesi. Naquela época nós não podíamos jogar na Arena da Amazônia, mas se não me engano deu mais de seis mil torcedores. O estádio lotado, os ingressos esgotados e ver a alegria da torcida e o grupo todo sendo ovacionado... e aquilo pra gente foi um momento único nas nossas vidas”, recorda o jogador que aponta a mudança de treinador em cima do jogo contra a Ponte como um desafio em busca de fazer história mais uma vez com o Leão da Vila.

“Na situação que estamos, vejo a mudança de treinador como uma motivação a mais. Porque, é claro, não viemos uma situação boa no Amazonense. Ainda não conseguimos uma vitória, mas creio que amanhã (hoje) a gente vá buscá-la, porque só a vitória nos interessa pra classificar contra a Ponte Preta e tentar fazer história novamente”, disse Rodrigo apontando o triunfo sobre a Ponte como uma guinada do Naça para o restante da temporada.

“Os jogadores sabem que uma classificação pode mudar o cenário todo do Nacional pro restante do ano. Trazer uma motivação a mais e nos dar mais confiança também pro restante do campeonato Amazonense”, concluiu.

Ficha Técnica

Nacional: Valverde; Balu, Índio, Zé Antônio e Felipe; Baé, Adonias, e Fininho; Alexsandro, Paulo Roberto e Danillo. Técnico: Arthur Bernardes
Ponte Preta: Ivan; Emerson, Renan Fonseca, Luans e Jeferson; Marquinhos, Tiago Real, Léo Artur e F.Saraiva; F.Cardoso e Silvinho. Técnico: Eduardo Baptista
Estádio: Arena da Amazônia, em Manaus
Motivo: 1ª fase da Copa do Brasil 2018
Árbitro: Savio Pereira Sampaio (FDF)
Data e hora: terça-feira (6), às 17h15

Publicidade
Publicidade