Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
Craque

Peladão 40 anos: Garotada do Peladinho dá um tapa de visual e desfila todos os estilos na cabeça

Jogadores apostam nos penteados inusitados para fazer bonito, nem que seja do lado de fora do campo



1.jpg Maloca, pacientemente, escova os longos fios de cabelo depois de tomar aquele banho e tirar da cabeça as marcas de mais uma partida pelo Peladinho
16/11/2012 às 09:25

Cabelo estilo moicano, cabelo tingido, cabelo curto, grande e tudo o que vier, literalmente, na cabeça. E a garotada do Peladinho não economiza quando o assunto é inovar.

No jogo sem gols no campo do Núcleo 15, Cidade Nova 2, o Panair B e o Desportivo Manauara deram uma verdadeira goleada de estilos e personalidades. Eles mostraram que o futebol também pode ser fashion. A criatividade dos pequenos boleiros tem ditado a moda. Bastante acionado pelos companheiros de time pela liderança que exerce nos jogos e pelas situações inusitadas que se mete, nos assuntos extra campo, o volante Anderson Leonardo, 14, conhecido mais como “Maloca”, mostra todo seu estilo e desenvoltura na hora de arrumar seu penteado, bem ao estilo Falcão Garcia, jogador colombiano atacante do atlético de Madrid da Espanha e da seleção.


Se o futebol não for de encher os olhos, ao menos os cabelos têm de estar impecáveis

De acordo com ele o, o estilo cabeludo vem desde a infância. “Desde pequeno meu cabelo é grande e gosto dele do jeito que é. Considero ele minha força dentro de campo, me ajuda na hora de correr e disputar as jogadas” conta o jogador. 

Já o boleiro Roney Daniel, 13, da Panair B, assumiu um visual mais arrojado, com uma mistura de moicano com um arrepiado loiro, bem ao estilo rebelde David Beckhan.

O cuidado que o meio campista tem com o penteado é de dar inveja ao vaidoso jogador português Cristiano Ronaldo: cada jogada é uma ajeitada nos fios. “Eu colo bastante gel, porque sei que na hora do jogo o vento ou uma jogada aérea, pode bagunçar. Na verdade eu nem ligo muito se bagunça ou não, o que eu quero é ajudar meu time no campeonato”, disse o jogador.

Para quem acompanha os jogos desses pequenos, estar à beira do campo é como participar de um desfile de penteados “deslocados e ousados”. Além das boas atuações pelo seu time dentro de campo, Roney  filósofa sobre o seu visual. " Cara, não importa qual o seu estilo, o que importa é você se sentir bem com aquilo que você tem. E poder arrumar o cabelo como você quer" disse o atleta que até na hora da entrevista não parava de mexer na cabeleira.





Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.