Publicidade
Esportes
Harmonia

Com 24 anos no Peladão, Palestina quer ser campeão da edição deste ano

Com 24 anos no maior campeonato de peladas do mundo, o Palestina sonha em se profissionalizar, mas antes quer ser campeão do Peladão. Apesar do nome nada agradável para os flamenguistas, o clube é formado, na sua maioria, por rubros-negros 07/10/2016 às 18:31
Show palestina
Clube disputa as quatro categorias do Peladão Brahma (Foto: Evandro Seixas)
Thaissa Cordeiro (Manaus-AM)

O Flamengo foi eliminado da Copa Sul-Americana pelo Palestino, do Chile, no mês  passado. Já o Palestina Futebol Clube, do  Peladão Brahma, possui no elenco torcedores do rubro-negro carioca e vivem em perfeita harmonia.

Um dos torcedores fanáticos da equipe, Kleber Cruz, de 35 anos, comentou sobre a eliminação precoce do clube do coração na competição internacional. “Pelo menos nós perdemos para o Palestino, não para o Vasco, então, eu não estou triste. Torço sempre para o Flamengo, ano que vem vamos disputar a Libertadores e vamos vencer”, disse o lateral-direito do time.

O integrante da comissão técnica, João Neto, 24, destaca que os atletas da equipe são, de fato,  torcedores assumidos do Mengão.  “Eles adoram o Flamengo, todos torcem pelo clube, temos alguns torcedores fanáticos, outros ficam mais na deles”, afirma.

Mas torcer pelo rubro-negro não é uma unanimidade no Palestina, porque tem um “bacalhau” no time.

Denis Furtado, 25, é o único vascaíno da equipe. O zagueiro foi só felicidade quando viu o Fla voltar mais cedo pra casa, depois de ser derrotado por 2 a 1, no estádio Kléber Andrade, em Cariacica, no último dia 28 de setembro. “Quando o Flamengo foi eliminado, teve foguete e tudo, passei uma semana bagunçando os caras. Foi muito difícil, como sou o único vascaíno da equipe, eu tenho que aturá-los”, revela Denis. 

Ele disse que teve dificuldades para “zoar” os amigos depois do adeus precoce. “Eles nem apareceram, todo mundo sumiu, mas até que no outro dia eu consegui”, fala em tom de descontração. O jogador afirma que irá continuar para o time chileno na competição. “Quero que eles vençam a Sul-Americana, só de eliminar o Flamengo, eu fiquei muito feliz, eles jogaram muito bem. Vou continuar torcendo”, comemorou.

História

Criado em 1992 por Issa Iacub, o Palestina tem muita tradição no Peladão. O time chegou a ficar de fora em 2009, mas voltou no ano seguinte. 
A equipe ainda não conseguiu levantar o caneco da competição amadora, mas a ambição pelo pódio ainda é grande.

“Nós queremos conquistar títulos, estamos com uma equipe forte, bem montada. Se Deus quiser, vamos levar o caneco. Nossos jogadores estão bem preparados”, declara Wanderley da Silva Cruz, presidente do clube.

A melhor participação do Palestina no Peladão foi no ano de 2000, quando ficou entre os 32 colocados. Em 2013, o time conseguiu chegar aos 120. 
O sonho de Wanderley Silva é transformar a equipe em profissional. “Todos nós temos um sonho, se eu ganhar na loteria, quero realizar, não custa nada pensar alto”, finaliza.

Publicidade
Publicidade