Publicidade
Esportes
Craque

Peladão: Jogadores do Flu de Presidente Figueiredo se viram dentro e fora de campo

Alguns atletas, como o capitão Darlon Prado, nasceram em Manaus, mas se mudaram para o município por motivos profissionais 02/01/2015 às 15:44
Show 1
Flu de Presidente Figueiredo vence mais uma partida no Peladão
Adan Garantizado Manaus

Além da superação em campo, os jogadores do Fluminense EC Figueiredo também precisam “ralar” diariamente para faturar seu “ganha pão” pelas ruas do município. Alguns atletas, como o capitão Darlon Prado, nasceram em Manaus, mas se mudaram para o município por motivos profissionais.

“Eu passei no concurso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam) de Presidente Figueiredo e me mudei para lá. Sou auxiliar de biblioteca”, explicou Darlon, que antes de atuar pelo Fluminense, já conhecia muito bem o Peladão.

“Joguei dois anos pelo time do Apolo (Petrópolis) e também já atuei no Santos Simonfer. Assim que cheguei em Figueiredo, tive contato com a boleirada de lá, conheci a história do time e dei um incentivo para a galera colocar o time no Peladão. O fato de estar entre os 60 já merece ser comemorado. Mas, isso prova também que podemos chegar bem mais longe”, concluiu o capitão.

Já o volante Adriano Gomes, resolveu aproveitar o potencial turístico da cidade para conseguir seu sustento. Quando não está em campo, o atleta fica responsável por uma tirolesa que atravessa as corredeiras do Urubuí. “Ao invés de escritório, meu trabalho é na beira da cachoeira (risos). Sou nascido no município e é uma honra poder representar Presidente Figueiredo no Peladão”, destacou Adriano, que também já teve uma rápida passagem pelo futebol profissional do Estado. “Fiz parte do elenco do Cliper que disputou recentemente a segunda divisão do Campeonato Amazonense”, explicou o volante.


Longa estrada na vida dos craques do Flu de Presidente Figueiredo. Foto: Lucas Amoreti

Longa estrada da vida dos craques
Para encarar os 107 quilômetros entre Presidente Figueiredo e Manaus, os atletas do Fluminense contam com um apoio “precioso”. A Prefeitura do município aluga um ônibus para que o time cruze a BR 174 e possa disputar os jogos do Peladão Brahma na capital amazonense.

Geralmente, a equipe costuma sair do município três horas antes dos duelos pelo Peladão, para evitar qualquer contratempo ou atraso. Quando o time vence, o retorno para casa é descontraído, com direito a muitas brincadeiras. E as “comemorações” do Fluminense de Figueiredo terminam em um local bem “óbvio”.

“A equipe sai daqui e vai curtir a vitória com a família tomando um bom banho de cachoeira. Aproveitamos e muito as belezas de nosso município”, disse o meia Chiquinho. Presidente Figueiredo também já faz planos para ter uma equipe no futebol profissional do Amazonas, o Clube Atlético Figueiredense. Um título do Peladão pode ser o passo que falta para o futebol entrar de vez no dia a dia do povo de Presidente Figueiredo.

Publicidade
Publicidade