Publicidade
Esportes
Craque

Penarol é bicampeão Amazonense Infantil em jogo marcado por paralisação e bombas

Clube de Itacoatiara jogava pelo empate para ser campeão pela 2ª vez; torcedor do Fast Club jogou um artefato explosivo em frente ao banco de reservas do Penarol, deixando um jogador ferido 18/12/2014 às 15:40
Show 1
O Penarol bicampeão Infantil 2014
Anderson Silva Manaus (AM)

Veja o pôster do Campeão Amazonense

O Penarol conquistou o Bicampeonato Amazonense infantil ao empatar com o Fast em 2 a 2, na tarde desta quarta-feira (17), no estádio Jornalista Carlos Zamith. O time de Itacoatiara (distante a 175 quilômetros de Manaus) jogou com a vantagem do empate por ter a melhor campanha na competição. Os gols da conquista foram marcados por Rivelino e Léo. Lucas e o xará Lucas Almeida fizeram os dois gols do Fast.

O primeiro gol do Fast pegou todos de surpresa, principalmente o goleiro do Penarol,Talison. Antes de completar dois minutos de jogo, o goleiro foi surpreendido com uma cobrança de falta de Lucas, da diagonal direita,  que encobriu o goleiro. 1 a 0.

O placar adverso fez o Leão da Velha Serpa ir em busca do gol, o que ocorreu somente no segundo tempo. Aos 18 minutos, Higor Gabriel sofreu pênalti ao ser derrubado dentro da área. Na cobrança, Rivelino marcou o gol de empate. 1 a 1.

Aos 50 minutos, o Fast voltou a ficar a frente do placar com o gol de Lucas Almeida. 2 a 1. Cinco minutos depois, Léo marcou o gol de empate do Penarol e do título do bicampeonato Amazonense Infantil.

Caso de polícia

Aos 26 minutos a partida foi interrompida. A torcida do Fast jogou um artefato explosivo de origem desconhecida em frente ao banco de reservas do Penarol, deixando o auxiliar-técnico Igor Cearense com dores no ouvido. O lateral-direito Bruno também foi sofreu com o impacto da explosão e precisou ser atendido pela própria comissão técnica do clube, com muitas dores no ouvido. Não havia policiamento e nem ambulância no estádio.


O presidente da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol (Ceaf), Vladmir Bastos, foi alertado pelo quarto árbitro, e até mesmo pela imprensa, ainda quando os primeiros artefatos foram estourados no estádio, mas não atendeu aos pedidos. Um repórter ainda chegou a ligar para o policiamento, mas nas primeiras tentativas não conseguiu. O policiamento só foi chamado pelo próprio presidente, imprensa e torcedores quando a confusão foi iniciada.

“Eu cheguei aqui agora, estava na sede da federação, então estou aqui e liguei agora. Infelizmente aqui são garotos, mas a torcida não respeita”, justificou o dirigente, nervoso com a situação.

A partida só foi reiniciada aos 42 minutos. Policiais militares da 11° Cicom foram ao estádio e retiraram um torcedor do Fast apontado por alguns torcedores do Penarol de ser um dos responsáveis por atirar o artefato no gramado.

Outros torcedores e o ex-presidente do Penarol, Ila Rabelo, apontaram que outro pivô da confusão seria um fastiano identificado como um homem branco, cabeludo, gordo e barbado que teria fugido do local.

Publicidade
Publicidade