Publicidade
Esportes
ÚLTIMO SUSPIRO

Perto da queda, destino do São Raimundo está nas mãos de Aderbal Lana

Atualmente no Manaus FC, técnico, que há 21 anos ajudou a soerguer o Mundico, pode ajudar no rebaixamento do Tufão da Colina, onde foi tricampeão do Estado e duas vezes vencedor da Copa Norte; duelo entre Gavião e Alviceleste Colinense acontece neste sábado às 20h, na Colina. 29/04/2017 às 05:00
Show lana
A sorte do Tufão passa pelas mãos de Lana (foto: Evandro Seixas)
Denir Simplício Manaus (AM)

“Deus dá, Deus tira”, como na passagem bíblica (Samuel 2:6), Aderbal Lana, justamente o técnico que deu “vida” ao São Raimundo nos anos 1990, pode, 21 anos depois, selar a sorte do Tufão da Colina no Estadual e rebaixá-lo matematicamente à Série B do Barezão, em partida marcada para às, 20h deste sábado (29).

Com “requintes” de crueldade, quis o destino que a iminente queda do Tufão - o clube ainda pode ser beneficiado com a perda de pontos de Nacional, Rio Negro e Penarol e  ainda ter uma sobrevida na elite - viesse com Lana como algoz. Mais que isso. O universo parece ter conspirado para que o último suspiro do Mundico no Barezão deste ano fosse no estádio da Colina, casa do Tufão e palco de tantas glórias. Como numa tragédia grega, o destino ainda se propôs em por em lados opostos Lana e Delmo, justamente os dois maiores ídolos da história do clube.

Com dor no coração

Visivelmente triste, o técnico Aderbal Lana falou sobre a situação do São Raimundo. Segurando uma camisa do Tufão levada pelo CRAQUE, o treinador desabafou.

“Tinha isso aqui (São Raimundo) como um filho. Isso aqui foi criado com muito carinho. Tenho realmente uma admiração muito grande e sinto pena de ver um trabalho realizado em oito anos perdido”, lamentou Lana com os olhos marejados lembrando da época em que assumiu o São Raimundo pela primeira vez, em 1996.

“Nós começamos no São Raimundo como ele está hoje: uma equipe que não tinha perante ao torcedor nenhuma credibilidade. Era um time de tradição, mas que não ganhava nada desde 1966 e quando nós chegamos na sede do clube lá tinha só um troféu. E quando nós saímos evidentemente tinham vários”, recorda o técnico.

Suspenso do último confronto do Manaus FC no Estadual, Lana revelou que, antes do duelo do São Raimundo com o Holanda, fez questão apoiar os atletas do Tufão.

Lana confessou que está triste com a possível queda do Tufão (Foto: Evandro Seixas)

“No jogo contra o Penarol, estava suspenso, mas entrei dentro do campo depois do meu jogo. Fui dar uma força pros jogadores do São Raimundo. Porque são cores que não saem da sua mente e até do coração. Infelizmente eu tenho de trabalhar numa equipe que agora é contra, e que pode ocasionar o rebaixamento matemático do São Raimundo e isso me dói muito”, confessou Lana lamentando mais uma vez, mas afirmando que vai jogar pra vencer.

“Fico muito triste com o que está acontecendo e espero que essa queda, praticamente no ano do centenário, não seja comigo no comando. Mas, infelizmente a gente tem de fazer nosso lado profissional. Temos respeito pelo São Raimundo. Vamos tentar fazer um jogo pra ganhar porque nós estamos correndo atrás de uma classificação”, concluiu o treinador.

Unidos no Tufão, rivais no Gavião 

No comando técnico do São Raimundo desde que saiu do Manaus FC, Delmo reencontrará, agora como rivais, Aderbal Lana e o meia Neto. Ex-camisa 10 do Tufão na era de ouro do Alviceleste  Colinense, Neto, que pode ser titular no confronto de hoje, na Colina, falou sobre o “Duelo da Agonia”.

“É um jogo importante contra um clube que tive uma passagem de oito anos e tenho o maior carinho. Sou torcedor fanático do São Raimundo. Tenho o maior carinho pela torcida e pelo clube. Tenho uma identificação”, declarou  Neto revelando jamais imaginar que o clube chegaria na atual situação.

Neto pode estar em campo contra o São Raimundo na queda do Mundico (Foto: Evandro Seixas)

“Nunca imaginei que o São Raimundo iria passar por isso. Teve o descendo da Série B pra C (em 2006) e depois disso as coisas começaram a desandar. Isso já vem se arrastando há muito tempo e veio quebrar nessa direção que assumiu. Espero que outras pessoas consigam reestruturar a equipe do São Raimundo porque é uma equipe de tradição”.

Por outro lado, o ex-artilheiro Delmo luta contra o descenso do Mundico. O ex-auxiliar técnico do Gavião lembrou que esteve do outro lado e Lana conseguiu arrumar o Manaus FC.

Do banco, Delmo tenta salvar o Tufão da queda (Foto: Evandro Seixas)

“O Aderbal é um grande treinador... tem uma visão há muito tempo do futebol na parte de treinar tecnicamente e taticamente com os jogadores. Também estive no Manaus e são jogadores que a gente já conhece. São as mesmas peças que a gente utilizava, tanto eu como o Igor, e hoje com o Aderbal está dando certo. Ele está conseguindo as vitórias”, finalizou Delmo.

Papo de CRAQUE com Marcelo Araxá - ex-atacante do São Raimundo

É com grande alegria que venho conversar com você, torcedor do São Raimundo. Evidentemente, num momento muito triste. A gente acompanha à distância a campanha do São Raimundo no Estadual. Esse clube em que vivi os melhores momentos da minha profissional.

A dificuldade inicial que a diretoria passou e depois um projeto que não deu certo, chegando a anunciar o Alberto, que é um cara super competente, um vencedor, e depois também não continuou. É muito difícil pra mim estar a distância dizendo que o São Raimundo acertou ou errou, mas a verdade é que fiquei muito triste. Mas torço e peço muito a Deus que o São Raimundo possa se reerguer e quem sabe esse passo que ele vai dar atrás aí, ele possa dar cinco, seis pra frente e ele possa ser esse Tufão.

Papo de CRAQUE com Alberto Silva - o herói do Tri da Copa Norte

Tivemos uma reunião três semanas antes de começar o campeonato e propus que o time não entrasse no Amazonense porque não tinha elenco e que se entrasse iria ser em cima da hora e não tínhamos dinheiro pra isso.

Mas o Fiola (Nobre) achou que não, que ele confiava nesse time que veio do interior e que o prefeito (Fonte Boa) iria ajudar e seguiu em frente. Vi que não tinha recursos e também achei que essa garotada do interior não iria vingar. E foi o que aconteceu. O Fiola teve uma boa intenção, diga-se de passagem, ele usou mais o coração do que a razão.

Mas não vejo um problema tão grande. É ganhar o título da 2ª Divisão e no ano do centenário mesmo disputa a 1ª Divisão com um time reforçado. Sempre procuro ver pelo lado bom das coisas e não vejo nada de tão mal na queda.

Publicidade
Publicidade