Publicidade
Esportes
Craque

Platini diz que vai ficar com relógio doado pela CBF: ‘Não devolvo presentes’

Presidente da Uefa não pretende acatar o pedido da Fifa que, por meio de seu comitê de ética, decidiu que os dirigentes deveriam devolver o "agrado". A CBF doou 65 relógios avaliados em 26 mil dólares aos cartoldas da entidade durante a Copa no Brasil  20/09/2014 às 08:35
Show 1
Michel Platini se recusa a devolver o relógio dado pela CBF durante a Copa do Mundo no Brasil.
Tim Collings/Reuters Paris

O presidente da Uefa (União das Federações Europeias de Futebol), Michel Platini, disse que pretende ignorar os pedidos da Fifa e não vai devolver o relógio de luxo avaliado em 25 mil francos suíços (26 mil dólares) recebido por ele como presente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Em vez disso, ele disse nesta sexta-feira, segundo relatos da mídia britânica, que vai fazer uma doação no mesmo valor para uma instituição de caridade.

"Sou uma pessoa bem-educada", disse ele. "Não devolvo presentes."

A Fifa pediu aos representantes que receberam os 65 relógios em edição limitada da marca Parmigiani Fleurier que devolvam o presente até 24 de outubro se quiserem evitar ações a serem tomadas pelo comitê de ética da entidade. A Fifa disse que o recebimento de tais mimos viola seu código de ética.


Os relógios foram entregues a 32 chefes de associações nacionais, 28 integrantes do comitê executivo da Fifa e a cinco membros de associações latino-americanas durante um Congresso da Fifa realizado em junho em São Paulo, às vésperas da Copa do Mundo.

"Fiquei muito surpreso com o comunicado à imprensa da Fifa", disse Platini, segundo o jornal The Guardian. "Acho que a melhor coisa seria ter sido ligar para nós e dizer que o comitê de ética fez 'isso e aquilo' e que não estão satisfeitos", acrescentou.

"Mas se o comitê de ética não estava satisfeito, eles deveriam nos ter dito isso quatro meses atrás no Brasil, quando recebemos os relógios. Eles sabiam que estávamos recebendo esses relógios, porque todos receberam."

O chefe da Associação Inglesa de Futebol (FA, na sigla em inglês), Greg Dyke, também recebeu um dos relógios e, na quinta, disse não ter conhecimento sobre seu valor e pretendia devolvê-lo.

"Vou perguntar pelo preço desse relógio e vou dar a uma organização de caridade, uma fundação, esse valor", disse Platini.

"Mas eu não posso devolver o presente. Em minha educação, não posso devolver presentes dessa maneira", acrescentou.


Publicidade
Publicidade