Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
Vai poupar?

Time misto da Chapecoense não faz ‘diferença’ para técnico do Princesa

Na próxima quarta-feira (6) as equipes jogam a primeira partida pela Copa do Brasil em Manacapuru



T_cnico_z__marco_princesa.JPG Mesmo com possível equipe reserva, Zé Marco espera jogo difícil (Foto: Antonio Lima)
31/03/2016 às 22:42

Com três jogos fora dos seus domínios – dois pelo campeonato catarinense e um pela Copa do Brasil – o treinador da Chapecoense, Guto Ferreira, começa a dar sinais que poderá utilizar um time misto para a partida contra o Princesa, pela partida de ida da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira (06), às 15h30, em Manacapuru.

A ideia de não desgastar a equipe que lidera o Campeonato Catarinense, poupando os principais jogadores de uma viagem desgastante até o Amazonas, e dar ritmo para os poucos jogadores que são aproveitados na equipe principal, não mudou a ideia do técnico do Tubarão, Zé Marco.



“Não faz diferença! É um grande clube, com um grande elenco e as dificuldades serão as mesmas. Até porque quem vai entrar vai querer mostrar o serviço e acaba criando ainda mais dificultes”, garantiu o treinador. “Trata se de uma grande equipe do futebol brasileiro. Acredito que estão muito bem treinados, tanto a equipe titular quanto as opções”, disse.

Atacante animado

A notícia da provável vinda de um time misto ou mesmo um time inteiro repleto de reservas animou o atacante do Tubarão, Nando, que também pregou humildade ao time da Série A do Brasileiro.

“Por um lado é bom, porque o time da Chapecoense vem de muitos jogos sem perder, mas também temos que ver que os jogadores de fora estão doidos para jogar. A gente está ciente que é um time de Série A. Se vier com um time misto é a Chapecoense do mesmo jeito. Não temos que olhar por esse lado, temos que olhar que é a Chapecoense”, afirmou o goleador.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.