Publicidade
Esportes
Craque

‘Pra mim basta’. Josildo Oliveira confirma que deixa o São Raimundo ao final do Barezão

Diretor de futebol do Tufão da Colina se disse cansado com as dificuldades em fazer futebol no Amazonas. No cargo desde 2012, Josildo reclamou ainda da não liberação do dinheiro do governo do Estado 13/05/2015 às 17:36
Show 1
Josildo de Oliveira confirmou que deixa o São Raimundo ao final do Barezão deste ano.
Denir Simplício Manaus (AM)

O diretor de futebol do São Raimundo Esporte Clube, Josildo de Oliveira, confirmou nesta quarta-feira (13) que deixará o cargo ao final do Campeonato Amazonense de 2015. No comando do futebol do Tufão da Colina desde 2012, o cartola já havia sinalizado que deixaria a função por conta das críticas da torcida. Josildo deixa o time colinense sem nenhum título e por pouco não foi rebaixado no ano passado.

“Vou ficar até o fim do Amazonense e depois deixar a diretoria do clube ver o que fazer pro ano que vem. Eu estou fora. Tô cansado disso tudo”, desabafou Josildo avaliando que o São Raimundo começou o ano muito bem, mas depois caiu de rendimento por conta da não liberação da verba do governo do Estado destinada aos clubes.“Montamos uma equipe no começo do ano e tínhamos duas folhas de pagamento. Como o dinheiro prometido pelo governo não saiu, tivemos que mudar os planos” explicou.

O cartola confirmou que deve dois meses de rendimentos ao elenco do Tufão e que isso contou em muito para as seguidas derrotas da equipe. “Temos dois meses de salário em atraso. Isso complica, pois o jogador é cobrado pela família. A maioria largou tudo em outros estados pra jogar aqui e sem receber o jogador não se esforça tanto em campo”, disse o dirigente.

De acordo com Josildo, a folha salarial do Tufão chega a R$ 70 mil mensais e nem cogita a não liberação do dinheiro do governo para quitar o débito com os jogadores. “Não quero nem pensar nisso. Espero que o governo crie vergonha e libere esse dinheiro logo. São R$ 200 mil do governo e R$ 50 mil da Prefeitura. Sem esse dinheiro não temos como pagar eles (jogadores)”, revelou o cartola.

Melhor e pior momento   

Josildo avaliou sua gestão no futebol do São Raimundo como boa. Pois, segundo o dirigente, ele deixa o Tufão em melhor situação que no momento em que assumiu o cargo. “Deixo o São Raimundo satisfeito, pois tenho certeza que deixo o clube melhor do eu peguei em 2012”, analisou o futuro ex-diretor, apontando o Barezão de 2012, quando o time chegou à semifinal do campeonato, como seu melhor momento na direção do Tufão.

Em seguida o cartola lembrou do sufoco que passou em 2014, quando o Mundico quase foi rebaixado para Série B do Amazonense. “Meu pior momento no São Raimundo foi sem dúvida no ano passado quando o time quase cai. Naquele ano nós tínhamos uma folha de R$ 18 mil a R$ 20 mil por mês, assim como é a do Rio Negro e do Operário este ano. Não dá prazer futebol com um dinheiro desses”, avaliou Josildo.

“É muito difícil fazer futebol no Amazonas. Saio do São Raimundo decepcionado com futebol amazonense”, finalizou o dirigente que foi bastante criticado pela torcida do São Raimundo. Principalmente por conta do elenco reduzido para a disputa do Campeonato Amazonense de 2015.


Publicidade
Publicidade